*Não fosse o amanhã, que dia agitado seria o hoje!

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Parada para Reabilitação


Estar plugado, horas/dia, durante semanas/mês, através dos jornais, telejornais, revistas, portais de internet... em um universo da mais pura canalhice, cinismo, impunidade e tantos outros mau-caratismos que se difundem pelo noticiário mundo afora, “de repente”, como disse o Jabor, “começa a pintar a depressão não apenas pelas coisas que acontecem no País, mas, pior, pelas coisas que não acontecem”. Intoxica-se com os maléficos fluídos que emanam das semanas/mês desses “dia a dia”.

Dizia minha vó, Da Elizabeth, a primeira e única – pelo menos por parte de mãe: “Meu filho, é no outono que as baterias precisam ser recarregadas para enfrentar os downloads do inverno. E, na maioria das vezes, passa despercebido às humanas criaturas, que a melhor opção, para recarregar-se é desligando-se!” Sábia criatura-avó! Que Deus a mantenha plugada... às baterias celestiais.

Portanto, vamos dar aquela paradinha, pra uma reabilitação. É só por uma semana de uns quinze dias. Mas voltaremos – fazer o que, né. Como disse Lindsay Lohan, “viciado não tem cura” - e se não disse, exatamente assim, deveria ter dito.

É tipo férias coletivas. Combinemos dessa forma: eu não publico nada nesse tempo (mas, como dependente, não posso garantir isso) e você (castiça criatura), não lerá os e-mails, que porventura, evadirem-se deste blog. OK?

E, obrigado pela audiência, Ops!, pela paciência – e mais ainda pelo incentivo – durante esse tempo todo. Inté! 

E, como um bom escoteiro, que eu sei que você é, continue Alerta! Tendo em mente: “Ser corrupto é normal!”. Uma campanha contra a “corruptofobia”, liderada pela APAC – “Associação de pais e amigos de corruptos”, em parceria com a ACA – “Associação dos corruptos anônimos”. Este movimento é suprapartidário e conta com o apoio do Governo Federal



CDantas



O coleguinha Jorge Bastos Moreno mandou um recado para sua amiga presidente. Sugeriu que não criasse o 40º ministério para evitar que algum gaiato maledicente faça a piada de Ali Babá. Com todo o respeito”. Ancelmo Gois – O Globo, sobre a criação do 39º ministério de Dilma, a Secretaria da Micro e Pequena Empresa.

Nomeado ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, vai acumular os dois cargos, ainda não sabe por qual dos dois será remunerado. A assessoria de Afif informou que ele abrirá mão de um dos salários, como determina a lei, mas não decidiu com qual deles vai ficar. Como vice-governador, ele tem um salário líquido de aproximadamente R$ 15 mil mensais. Os vencimentos de um ministro do governo Dilma, sem os descontos, são de R$ 26,7 mil por mês. Especialistas ouvidos pela Folha disseram não ver problema no acúmulo dos dois cargos, porque o vice substitui o governador apenas na ausência do titular. Leia

Afif de pais separados! - Dilma Rousseff e Geraldo Alckmin vão dividir Afif Domingos em regime de guarda compartilhada. O novo meio ministro da Micro e Pequena Empresa vai, como se sabe, continuar sendo meio vice-governador de SP. É, salvo engano, a primeira experiência de convívio civilizado entre separados pela política na criação de alguém importante em comum. Principal beneficiado pela situação, Afif está feliz como todo menino que se vê, de repente, com as vantagens de duas casas à disposição para ficar. O ideal é que esteja na vice-governança nas crises do Planalto e na Esplanada dos Ministérios quando o bafafá for no Palácio dos Bandeirantes. Tem ainda, em caso de mal-estar generalizado, um padrinho a quem recorrer: Gilberto Kassab é, de certa forma, meio inventor do homem público assumidamente sem lado nos conflitos partidários. Tutty Vasques, para “O Estadão”.

Nota de rodapé: O novo ministro Afif Domingos foi um dos articuladores de protesto contra o governo Lula, em 2005, no Centro de São Paulo. No ato, contrário ao mensalão e à corrupção, Afif distribuiu narizes de palhaço para a população. Ilimar Franco – O Globo 08.05

Últimas noticias sobre Afif: Segundo Juliana Dualibi, do Estadão (9): “Afif informou que abrirá mão dos vencimentos que recebe como vice-governador e que optará pela remuneração de ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, cargo para o qual será nomeado nesta quinta-feira. O salário bruto de vice-governador é de R$ 19.629. Já o de ministro é R$ 26.723,13. Mas Afif assumirá o ministério de Dilma, porém não renunciará ao cargo de vice de Alckmin”. O mais bobinho, nessa trama, vende a mãe, do outro, para o tráfico internacional de pessoas, comandado atualmente pela Rede Globo, através da super-vilã Lívia Raia.

É divertido o imaginário jurídico dos mensaleiros. No mundo desses comissários, os deputados José Genoino e João Paulo Cunha, condenados pelo pleno do Supremo Tribunal Federal, devem continuar no exercício de seus mandatos, com assento na Comissão de Constituição e Justiça. Já o ministro Joaquim Barbosa, que não mexeu em dinheiro alheio, deveria ser afastado da função de relator dos recursos que apresentaram à corte. Tudo de acordo com as leis, regimentos e portarias. Elio Gaspari Leia

É mesmo bem divertido o imaginário jurídico, não só dos mensaleiros, mas das quadrilhas em um contexto geral: Quase 17 anos após o crime, começa nesta segunda-feira (6), em Maceió, o júri popular de quatro policiais acusados de duplo homicídio do empresário Paulo César Farias, o PC Farias, e da namorada, Suzana Marcolino, ocorrido em 1996 em Guaxuma, Alagoas. [...] Ele foi encontrado morto ao lado da namorada na casa de praia de sua propriedade.  Quatro policiais respondem por duplo homicídio triplamente qualificado... Os PMs que o encontraram eram responsáveis pela segurança particular de PC Farias. Segundo a Promotoria, eles agiram por omissão, porque estavam presentes na cena do crime, mas relataram não ter ouvido os tiros e não impediram as mortes. (???)*

“Não houve um suicídio. Se não houve suicídio, alguém matou”, (???), afirmou ao G1 o promotor do caso, que pedirá aos jurados a condenação dos seguranças pela omissão. Com base no novo laudo, em 1999, a polícia chegou a indiciar o deputado Augusto Farias, irmão de PC Farias, como autor intelectual dos crimes. Ele negou envolvimento e o Supremo Tribunal Federal mandou arquivar o inquérito em 2002, por falta de provas. Desde então, não há suspeita de quem tenha sido o mandante dos assassinatos.

Os réus, que têm o direito de permanecer em silêncio... nesse caso, o silêncio não significa confissão. (???). Lacunas nas investigações podem dividir os jurados e deverão ser exploradas por defesa e acusação durante a fase de debates, que sucede os interrogatórios, assim como a ausência de um mandante, um mistério que se estende por quase duas décadas. Leia

Amigo... nem Hollywood Farias, - Ops, Erro nosso! - faria melhor! É a realidade superando a ficção... seja lá o que isso signifique.

OBS: os (???), não fazem parte do texto original... foram colocados lá, por mim, por não haver conseguido interpretar sua lógica. Se você conseguiu  entender, por favor, desenhe  e envie-me  pelo email do blog. 

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva convidou o presidente da CBF, José Maria Marin, para inspecionar amanhã, às 12h30, o Estádio Mané Garrincha, onde será abertura da Copa das Confederações. Marin programara uma visita ao estádio às 9h30. Agora, irá à arena ao lado de Lula e do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. Lula também chamou o cartola a acompanhá-lo na viagem de São Paulo a Brasília. Para Marin, o convite é significativo. O ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez é candidato de oposição à sucessão de Marin. em 2015. Amigo de Lula, Sanchez teria o apoio do ex-presidente. Marin deve defender a candidatura seu vice, Marco Polo del Nero. Leia

Lula, semana que vem, recebe simultaneamente sete títulos de doutor honoris causa de universidades argentinas. Ancelmo Gois, O Globo, 08.05

Lula tá jogando nas onze. Cobra pênalti e corre pra defender seu próprio gol. Agora, cá pra nós, sete títulos de doutor honoris de universidades argentinas... aí tem! Nem Einstein conseguiu tal façanha.  

Eduardo Paes, após os recentes acidentes envolvendo ciclistas, decidiu que as pistas do Aterro do Flamengo, e não mais as da orla de Ipanema e Leblon, serão reservadas a treinos com bicicletas.
As vias ficarão exclusivas aos ciclistas de segunda a sexta, das 3h30m às 5h30m.
Ancelmo Gois O Globo 05.05

Meu irmão, se bem eu conheço o Aterro do Flamengo – e eu conheço bem o Aterro, pois morei por alí mais de dez anos - essa aventura nas madrugadas, entre 3h30m às 5h30m, com bikes que podem atingir preços de até R$ 20 mil ou mais, terá de ser acompanhada por uma equipe do Bope, muito bem preparada, pois esses ralis de treinamento costumam reunir em torno de quinze a vinte corredores.   

Quem assistiu ao último pronunciamento da presidente Dilma Rousseff em cadeia de rádio e TV, no último 1º de maio, em comemoração ao Dia do Trabalho, percebeu uma mudança nítida nos outrora olhos castanhos, agora com tonalidade mais verde-azulada”. (1)

Os olhos da traição: A Petrobras continua conversando com Eike Batista, que enfrenta grandes dificuldades. A estatal não pretende ser sócia do Porto do Açu, mas pode contratar serviços do terminal. Numa outra frente, a Petrobras pode absorver alguns equipamentos ociosos destinados à OGX. É que a empresa de Eike se equipou para uma produção de óleo bem acima do que realmente produz. Ancelmo Gois – Globo 03.04

Segundo minha amiga Cacau - que em função se sua atividade profissional, tem acesso as mais escabrosas informações dos poderes constituídos e que, conforme ela, são “o Legislativo, o Executivo e a Corrupção” - informa-me, por email, que este fim de semana, na vitrola da Eike Batista só rolou a música “Teus olhos castanhos”. Diz ela que: “Eike ficou magoado quando soube da notícia que a Petrobrás não pretende ser sócia do Porto do Açu”. Diz ainda: “... a atual dor de cotovelo do Eike, só foi superada pela da separação de Luma de Oliveira, oficializada em março de 2004. Ele culpa a bipolaridade iridescente, nos olhos da presidenta, pela mudança radical no seu comportamento”.

É bem possível, pois na semana passada rolava um affair, ardoroso, entre Dilma e Eike sobre o “Consórcio Maracanã” – relembre - Ele deve ter achado que a coisa era séria e entre os bombons do pacote do compromisso futebolístico, mandou também a parceria Petrobrás/OGX, mas pra seu azar, Dilma, que também anda de regime, não é de manter “casos” por muito tempo. Não gosta de compromissos duradouros... é uma “ficante”. Quanto a afirmação da “bipolaridade” da íris da presidenta-presidente, há um certo exagero,  mas levemos em conta esse momento difícil pelo qual Eike vem passando. Sabemos que com o tempo, não só a dor de corno do Eike, como o fenômeno da  mutação na cor dos olhos de Dilma, se dissiparão na efêmera realidade política. Somente a título de ilustração, segue abaixo a trilha sonora deste imbróglio.

Teus olhos castanhos,
De encantos tamanhos,
São pecados meus,
São estrelas fulgentes,
Brilhantes, luzentes,
Caídas dos céus,
...
Olhos azuis são ciúme
E nada valem para mim,
Olhos negros são queixume,
De uma tristeza sem fim.
Olhos verdes são traição,
São crueis como punhais.
Olhos bons com coração
Os teus, castanhos leais.

Trecho da letra da música “Olhos Castanhos”, de Alves Coelho pra quem não se recorda da melodia, aí vai uma palinha, na voz de Francisco José  - Ouça!

Nota de rodapé: “Desde a primeira campanha, em 2010, quando Dilma se submeteu a uma repaginada total nos olhos, nos dentes e no penteado, ela abandonou os pesados óculos de grau e adotou as lentes de contato para amenizar o ar pesadão e cara de brava”. (1)  Leia a reportagem completa




quinta-feira, 9 de maio de 2013


“Seria uma tragédia se o Brasil de hoje não tivesse a Bolsa Família. E será uma tragédia se, daqui a 20 anos, a gente continuar precisando do Bolsa Família”
Senador Cristovam Buarque - Blog do Noblat

Famílias com parente dependente de crack vão receber uma bolsa do governo do Estado de São Paulo para custear a internação do usuário em clínicas particulares especializadas. Chamado “Cartão Recomeço”, o programa deve ser lançado na quinta-feira, com previsão de repasses de R$ 1.350 por mês para cada família de usuário da droga. Segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia, a proposta é manter em tratamento pessoas que já passaram por internação em instituições públicas. “São casos de internações em clinicas terapêuticas, pelo período médio de seis meses”, afirma. Os dez municípios que receberão o programa piloto devem ser definidos nesta quarta-feira. As clínicas aptas a receber os pacientes ainda vão ser credenciadas, mas ficará a cargo das prefeituras identificar as famílias que receberão a bolsa. “Saúde pública é sempre para baixa renda. Os Caps (Centros de Atendimento Psicossocial das prefeituras) já têm conhecimento das famílias e fará a seleção”, diz Garcia, sem detalhar quais serão esses critérios. Leia

De boas intenções o inferno está cheio”. A frase é creditada a São Bernardo de Clairvaix, que teria usado as palavras como argumento contra teólogos que pregavam maior pluralidade na interpretação da Bíblia. A expressão se aplica diante de propostas supostamente bem-intencionadas que podem ter consequências ruins ou ineficazes. (1)

A gente quer - e precisa – acreditar na boa intenção do ser humano, mas, com todo respeito, conhecedor que somos dos digamos, trâmites públicos, isso tem tudo pra dar errado. E que me perdoem aqueles que de fato tem necessidade, urgente, de ajuda, mas vai ter neguinho adotando drogado pra poder faturar mais essa grana... não é engraçado não, é triste pra caramba! (1) - fonte: almanaquebrasil.com.br - pesquisa dpaQ&M

Retratos da Vida Real  - 1º CLICK: “Acredite. Dia destes, um grupo de usuários de crack, vindo da Lapa, passou pela Praça Tiradentes, no Centro do Rio, e assaltou... dois mendigos que dormiam na calçada. Levaram duas garrafas de cachaça e um maço de cigarros”; 2º CLICK: “A Marcha da Maconha, no Rio, foi marcada para sábado, em Ipanema. A data marca os 32 anos da morte de Bob Marley, o cantor que... você sabe”. Ancelmo Gois – O Globo

BUENOS AIRES - Na semana passada, a presidente Cristina Kirchner assegurou que a Argentina tem tudo —“temos Papa, temos rainha (em referência à Máxima Zorreguieta, nova rainha consorte da Holanda) e temos Messi, não sou fanática por futebol, mas temos tudo”, escreveu no Twitter. Os dados da empresa de consultoria Management & Fit também mostram que a desaprovação ao governo atinge atualmente 59,6%, bem acima dos 29,4% registrados no momento em que Cristina obteve seu segundo mandato consecutivo. A chefe de Estado vive um pequeno inferno astral, que insiste em negar. Seus aliados políticos adotaram a mesma estratégia e, longe de admitir as pedras que vão surgindo no caminho, preferem falar na continuidade da presidente no poder. O deputado Andrés Larroque, por exemplo, disse semana passada que “temos, pelo menos, uma década (de kirchnerismo) mais pela frente”. No próximo dia 25 de maio, os Kirchner completam dez anos no poder e seus dirigentes já sonham com outros dez anos na Casa Rosada. “O país precisa de mais paciência, mais tolerância, mais amor”, declarou Larroque, o mesmo deputado que chamou a congressista Laura Alonso, do opositor Pro, de “safada”.

Como se vivessem num país diferente ao de Larroque, os argentinos que participam dos panelaços pedem medidas para conter a inflação, melhorar o mercado de trabalho, respeito à divisão de poderes, à liberdade de imprensa, combate à corrupção e à insegurança, entre outras demandas. Leia

Para Joaquim Barbosa, falta “diversidade ideológica na imprensa” - com o que a gente concorda plenamente: é tudo igual.  Lá pelos idos de 60/70, José Abelardo Barbosa, o Chacrinha, cunhou a celebre frase: "Na televisão, nada se cria, tudo se copia" e, pelo que parece, o modus operandi dos políticos, nas atuais democracias sul-americanas, também segue na mesma balada. É tudo igual, só muda o hino... e a bandeira.

Uma, quase, HQ: “O coronel Roberto Baere, de 80 anos, vai amanhã (04), à audiência pública da Comissão Nacional da Verdade na sede da ABI, no Rio, falar sobre a sublevação de um segmento de oficiais da Aeronáutica que pretendiam derrubar o avião do vice-presidente João Goulart, depois da renúncia de Jânio Quadros, em 1961. Jango, como se sabe, estava na China quando o presidente deixou o cargo.

Baere fazia parte dos tenentes do 1º grupo de Aviação de Caça da Base Aérea de Santa Cruz, no Rio. Quando chegou a ordem do comandante da base, coronel Paulo Costa, para armarem os caças, ele e mais três pilotos foram avisar que se fossem escalados não participariam da operação. A operação acabou abafada. Mas, três anos depois, quando veio o golpe militar, Baere e seus amigos foram cassados, presos e nunca mais puderam pilotar um avião. Ancelmo Gois – Globo 03.04

Essas aventuras não acontecem mais na vida real, não que atualmente não existam ditaduras, muito pelo contrário, elas continuam existindo sim, mas em formatos bastantes sutis,  o que é raro nos dias de hoje são os coronéis “Roberto Baere”... é coisa tipo “O Zorro”, “O Fantasma”... é coisa de HQ.   

Nota de rodapé, na consciência do ECA: “Se nós temos um elemento, seja menor ou maior, que está cometendo algum tipo de crime essa pessoa tem que ser retirada do seio da sociedade. Essa pessoa tem que sofrer o que a lei estabelece. Nós precisamos recuperar o caráter exemplar da lei. Um jovem hoje tem condições de fazer negócios, contratos... Aí, no momento em que ele comete um crime ele é infantilizado. Essa é uma questão que está um pouco desgastada e que há de se discutir”. José Mariano Beltrame



quarta-feira, 8 de maio de 2013

“Democratizar a democracia é mais Joaquim Barbosa e menos Zé Dirceu”
Slogan usado pelo novo partido de Marina Silva,  na campanha por sua criação.
Ilimar Franco – O Globo

O presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, criticou a imprensa e o foro privilegiado de autoridades e apontou discriminação de negros na mídia durante discurso nesta sexta (3) em São José, na Costa Rica. Barbosa foi o orador principal da Conferência Internacional em Comemoração ao Dia Mundial pela Liberdade de Imprensa, promovida pela Unesco. [...] No discurso em inglês, Barbosa ressaltou a importância de se garantir a liberdade de imprensa e fez críticas aos principais jornais impressos do Brasil. Para Barbosa, não há diversidade ideológica e, no campo das idéias, há uma certa inclinação para a direita. Leia

Mino Carta, em entrevista publicada no site “Observatório da Imprensa”, disse: O jornalismo brasileiro é muito ruim... você não sabe o que acontece. E não é ruim somente por obra de um projeto ardiloso, feito para nivelar por baixo, desprezar o leitor, o ouvinte ou o telespectador. Não é só por isso. É porque os jornalistas não acreditam naquilo que fazem. E eles fazem coisa ruim, um mau jornalismo.

Já falei, por aqui, o que penso sobre o Mino Carta, mas, disse também, que concordava com essa sua afirmação. Basta você assistir aos telejornais, ler notícias nos diversos portais jornalísticos pela internet ou mesmo ler um jornal ou revista, para notar que é tudo igual. Só mudam os classificados, as notícias locais e os layouts de cada um desses veículos. Às vezes até os comentários são idênticos. Escolha aquele que lhe seja mais simpático e pronto. Salvo um ou outro, o restante é tudo cópia.

Em um evento de catadores de lixo, em São Paulo (outubro/2009) - leia -, Lula afirmou: “A Imprensa não é mais formadora de opinião”. Vendo as caras e bocas William Bonner, no Jornal Nacional, às vezes eu... deixa pra lá!

Roberto Carlos vai processar o novo presidente da Venezuela, Nicolas Maduro. Seus advogados procuram confirmar se o político usou a música "Detalhes" em campanha. "Já vimos o vídeo no Youtube e acionamos nossa equipe internacional para que eles reúnam provas de que a música foi ao ar em rede nacional, no rádio e na TV" diz Marco Antonio Bezerra Campos, advogado de Roberto. "Assim que confirmarmos tudo, vamos notificar e entrar com ações indenizatórias." Joaquim Ferreira dos Santos – O Globo 05.05.

Com essa ação, Roberto Carlos pode se transformar em um terrorista, por estar conspirando contra o governo do presidente Nicolás Maduro. Tudo bem! Aguardemos o desenrolar de mais essa trama com a marca Maduro©. Mas o que me intriga, de verdade, é o que, ou á quem, Maduro desejava homenagear, com música do Roberto, principalmente nessa quadra:
“Se um outro cabeludo
Aparecer na sua rua
E isto lhe trouxer
Saudades minhas
A culpa é sua...”

Yin - Jorge Mautner foi convidado por Eduardo Paes e Sérgio Cabral para divulgar a ideia da "amálgama do povo brasileiro" durante a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Quinta-feira, em sua aula no Midrash, Mautner leu parte do material que prepara: "O Brasil é o gigante que se fingiu de invisível até hoje. Não é à toa que as Olimpíadas e a Copa do Mundo vão ser aqui. A palavra de ordem no mundo é ser como o Brasil. Acolher o diferente, se misturar com ele. Ou o mundo se 'brasilifica' ou se 'nazifica"! Joaquim Ferreira dos Santos – O Globo 05.05

Yang - Essa capadoçagem burra, arrogante e irresponsável, tentada no Congresso Nacional, para intimidar e desfigurar o Poder Judiciário, mostra de novo como somos atrasados. Antigamente, éramos um país subdesenvolvido e atrasado. Fomos promovidos a emergente — embora volta e meia me venha a impressão de que se trata de um eufemismo modernoso para designar a mesma coisa — e continuamos atrasados. Nosso atraso é muito mais que econômico ou social, antes é um estado de alma, uma segunda natureza, uma maneira de ver o mundo, um jeito de ser, uma cultura. Temos pouco ou nenhum espírito cívico, somos individualistas, emporcalhamos as cidades, votamos levianamente, urinamos nas ruas e defecamos nas praias, fazemos a barulheira que nos convém a qualquer hora do dia ou da noite, matamos e morremos no trânsito, queixamo-nos da falta de educação alheia e não notamos a nossa, soltamos assassinos a torto e a direito, falsificamos carteiras, atestados e diplomas, furamos filas e, quase todo dia, para realçar esse panorama, assistimos a mais um espetáculo ignóbil, arquitetado e protagonizado por governantes. João Ubaldo RibeiroLeia na íntegra


As fortes chuvas que caíram ontem (6), pela manhã no Estado do Rio de Janeiro podem ter provocado o desligamento automático da usina nuclear de Angra I, em Angra dos Reis. Essa é a opinião do diretor de Operações da Eletronuclear, Pedro Figueiredo, ao explicar que a usina foi desligada automaticamente às 7h37m de ontem devido ao sistema de proteção de um transformador auxiliar externo da unidade. A usina ficou sete horas desligada. Há cerca de uma semana, a usina tinha sido religada depois de ter ocorrido um defeito no sistema eletrônico, que também acionou o desligamento automático. Leia

O Windows 1.0 era, na verdade, uma interface gráfica para o MS-DOS e foi lançado, comercialmente, em 1985 - há 28 anos. Foi um perrengue danado até o bicho se acertar, mas a partir do Windows XP, lançada em 2001, coisa foi se estabilizando até que, atualmente, a plataforma está redonda... que nem uma Skol. 

Angra1 teve sua construção iniciada em 1972 - há 48 anos. Depois veio Angra2 que entrou em operação em 2000. As usinas Angra1 e Angra2 respondem por aproximadamente 4% da eletricidade produzida no Brasil a um custo de deixa pra lá essas contas. Tomara que este sistema, seguindo os passos do Windows, um dia se estabilize e desça redondo goela abaixo da economia brasileira... quem nem a cerveja.

Nota de Rodapé - O motorista de um carro, estacionado na Rua Almirante Saddock de Sá, em Ipanema, não conseguiu comprar o bilhete de estacionamento e deixou este recado no vidro: “Caro guarda, tentei comprar o talão, porém o guardador não quis vender. Se o senhor me multar, amanhã eu vou encher o pobre de porrada.” - Ancelmo Gois – O Globo

terça-feira, 7 de maio de 2013


“Gente acho bom vocês gritarem. Não tem problema, não. Democracia é isso aí.”
Dilma ao ser vaiada, por produtores rurais, em Campo Grande (MS).

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, suspendeu nesta quarta-feira (1), a compra de 20 mil capas de chuva para policiais, por R$ 5,3 milhões. Ele disse que a Polícia Militar errou ao listar o produto como itens a serem adquiridos para a Copa do Mundo. A PM informou que não se pronunciaria sobre o assunto. O anúncio da compra do material, feito nesta terça-feira (30), causou embaraço ao governo porque na época da realização da Copa – junho e julho – os níveis históricos de chuva em Brasília são baixos. Também, o custo com as capas equivale a cinco vezes o previsto para a compra de armamento e ao dobro com a montagem de delegacias móveis, por exemplo. Leia

Segundo o INPE, “uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) caracteriza-se como sendo uma banda persistente de precipitação e nebulosidade orientada no sentido noroeste-Sudeste, que se estende desde o sul da Amazônia até o Atlântico Sul Centro”. Na TV as mocinhas do tempo adoram uma ZCAS... os  políticos, parece que também, só que eles dão outro sentido ao fenômeno. Para eles ZACS, significa Zona de Convergência de Assaltos Sistêmicos, que diferentemente do fenômeno natural - que ocorre no sentido “noroeste-Sudeste e se estende desde o sul da Amazônia até o Atlântico Sul Centro” – a versão política para ZACS, se esparrama por todos os pontos cardeais possíveis e imaginários no Brasil. Ponto cardeal imaginário? Perguntaria o mais atento. Sim, pois essa turma, no âmbito de previsão da canalhice, consegue prever desvios de verbas em dimensões inimagináveis pela ciência meteorológica.

LIGUE-SE! - “Ser corrupto é normal”. Uma campanha contra a “corruptofobia”, liderada pela APAC – “Associação de pais e amigos de corruptos”, em parceria com a ACA – “Associação dos corruptos anônimos”. Este movimento é suprapartidário e conta com o apoio do Governo Federal. 

Segundo o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) o Brasil vive um bipresidencialismo: “Dilma e Lula conversam a toda hora sobre como administrar o país”. Ilimar Franco – O Globo 05.05

Acho bem interessante essa nova maneira de administrar um país, pois até nos corredores sagrados do Vaticano isso já acontece: O papa Francisco recebeu pessoalmente nesta quinta-feira (2), o papa emérito Bento XVI no Vaticano, em um retorno que marca o início de uma convivência sem precedentes entre dois pontífices. Esta é a primeira vez na história que dois Papas convivem dentro dos muros do Vaticano, os dois vestidos de branco e sob o título de "Sua Santidade" - Leia – Quem sabe inicia-se uma nova forma de governar. Nunca antes na história das ideologias algo assim ocorreu. Neguinho matava o concorrente num piscar de olhos, fosse rei, papa, tzar, presidente ou primeiro ministro.

A seguir, exemplo de uma verdadeira “ideologia democrática: Thereza Bulhões, a quarta esposa de João Saldanha, acaba de terminar um livro sobre a vida amorosa do ex-técnico da seleção brasileira, um dos mais polêmicos jornalistas esportivos do Brasil. Thereza não só fala do seu relacionamento com Saldanha como também colheu o depoimento das outras três ex-mulheres. Joaquim Ferreira dos Santos – O Globo 05.05

Caso Thereza viesse a dividir o lucro, da vendo de seu livro, com as personagens da sua história de Vida, seria o verdadeiro Samādhi-pāda, do Yoga Sutras. A realização suprema da doutrina. Quem sabe, o raiar de uma nova era. O socialismo do século XXII.

Da série “propostas para maioridade penal”, aí vai mais uma: Vinte e seis estados americanos têm leis conhecidas pelo nome de "Três chances e você está fora" ("Three strikes and you are out"). De uma maneira geral funcionam assim: o delinquente tem direito a dois crimes, quase sempre pequenos. No terceiro, vai para a cadeia com penas que variam de 25 anos de prisão a uma cana perpétua. Se o primeiro crime valeu dez anos, a sociedade não espera pelo segundo. O sistema vale para criminosos que, na dosimetria judiciária, pegariam dois anos no primeiro, mais dois no segundo e, eventualmente, seis meses no terceiro. Essa versatilidade poderia ser usada no Brasil para quebrar o cadeado em que está presa a sociedade na questão da maioridade penal. [...] Seria o caso de se criar o mecanismo da "segunda chance". A maioridade penal continuaria nos 18 anos. No primeiro crime, o menor seria tratado como menor. No segundo, receberia a pena dos adultos. Considerando-se que raramente os menores envolvidos em crimes medonhos são estreantes, os casos de moleza seriam poucos. Elio Gaspari. Leia na íntegra

Dá pra pensar!. Para um país onde é permitido presentear uma criança com um rifle – estampado com a figura do Mickey ou da Minnie – no seu aniversário de 5 anos, mas que ao mesmo tempo, subdelega a quem presenteia, subscrever nas entrelinhas do cartão de aniversário, a mensagem: “Meu amado filho, aí está o seu primeiro rifle tão desejado, mas cuidado, pois se não souber manuseá-lo, você pode ir em cana, e papai, embora vá ficar muito triste, estará livre de qualquer responsabilidade. Te amamos!” - fica difícil, pra nós tupiniquins, entender tanta democracia, né mesmo? 

O jogador Bernardo, do Vasco, foi salvo da morte por Charles, meio-campo do Palmeiras, que estava na Maré e foi socorrê-lo na Vila dos Pinheiros, para onde foi levado junto com Dayana Rodrigues, namorada do traficante Marcelo Santos das Dores, o Menor P. Criado na comunidade, Charles teria ido ao barraco e convencido Menor P de que a morte do jogador mobilizaria a polícia. — Se não fosse pelos argumentos usados por Charles, Bernardo ia ser morto. Ele disse que, se o Bernardo fosse morto, no dia seguinte, a polícia ia subir a favela para achar o corpo e pegar o responsável - explicou o delegado José Pedro Costa da Silva, da 21ª DP. O plano do traficante também incluía o assassinato de Dayana. [...] Bernardo foi localizado na Favela Salsa e Merengue por volta das 18h30m e colocado num carro, onde foi ameaçado por Menor P, que estava com uma máquina de choque. De acordo com a polícia, a ação durou cerca de uma hora. Depois de convencer o traficante, Charles teria retirado Bernardo da comunidade, de carro. Leia

É poderosa essa amizade entre Charles e o traficante “Menor P”, a ponto de interferir na execução dos amantes, principalmente, pelo motivo: “infidelidade amorosa”. Aí tem!

Nota rodapé: O Cabra da peste - Depois de mandar um “ô, trem bão!” no show de Belo Horizonte, Paul McCartney já está ensaiando o que dizer para agradar aos cearenses na apresentação de quinta-feira, em Fortaleza. Tem ainda alguma dificuldade com a pronúncia de “e aí, abestado?” Tutty Vasques.





segunda-feira, 6 de maio de 2013


“Se o Congresso Nacional cumprir com sua função e o Supremo cumprir sua função, nós ficaremos em paz. O importante é cada macaco no seu galho”
Lula, sobre os embates entre legislativo e judiciário.

Para o ex-presidente Lula, a crise do mensalão foi um “tropeço”, mas, ainda assim, depois de dez anos no poder, o PT se divide nos dias de hoje entre o “PT da base” e o “PT eleitoreiro”. O primeiro guarda as mesmas características desde os anos 1980, é “exigente e solidário”. Já o segundo precisa se reinventar para que a política não fique “mais pervertida do que já foi em qualquer outro momento”, e para que o partido seja capaz de estabelecer alianças e coalizões sem precisar “estabelecer uma relação promíscua”. [...] “Às vezes tenho a impressão que partido político é um negócio, quando, na verdade, deveria ser um item extremamente importante para a sociedade”, admite Lula no depoimento a Pablo Gentili e ao cientista político Emir Sader. Leia

Esse papo de macaco songamonga do Lula está no livro “10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma”, que será lançado pela Boitempo Editorial no dia 13 deste mês. Pelo menos pode-se concluir que: se para Lula, “a crise do mensalão foi um tropeço”, então ele reconhece que existiu um “mensalão”!? Demonstrando a tese: para tropeçar, há de haver um “sujeito” que torne real o deslize, pois o tropeço, por si só, não existe, até o momento em que um “agente” o materialize no mundo real. CQD. É simples assim, que nem uma teoria quântica. Alguém ainda lembra o que vem a ser um “cqd”?

A partir de 2016, o governo pretende licitar sete canais de TV digital em vários municípios do país, incluindo Rio e São Paulo. Embora especialistas considerem estes canais de "segunda categoria", porque não permitem que as transmissões sejam recebidas pelo celular, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, acredita que haverá grande interesse comercial das empresas. A proposta do Ministério das Comunicações que está sendo levada à presidente Dilma Rousseff é concluir o desligamento da TV analógica em todo o país em 2018. Paulo Bernardo contou que havia feito uma proposta inicial de fechar o cronograma em 2020, mas a Casa Civil foi contra e achou que era "um horizonte muito longo". “A Casa Civil acha que tem que ter um programa com começo, meio e fim”, segundo Bernardo - leia

Faltou lembrar, que o ministro das Comunicações, na intimidade, chama a Casa Civil de “Minha querida”. Por falar na senhora Bernardo, ela andou dando umas declarações interessantes - pelo menos não passionais - sobre internação involuntária de dependentes químicos. Reproduzo, abaixo, parte desta entrevista:

A senhora entende que o viés religioso das entidades não é um problema? Seria um recurso a mais na terapia?
-Nem todas as comunidades são religiosas e muitas professam fés diferenciadas. Há comunidades ligadas à Igreja Católica, a igrejas evangélicas, espíritas. Ser religiosa não pode ser visto como um impeditivo. Vivemos num país religioso, a grande maioria da população professa uma fé. O Estado é laico, não pode optar por nenhuma fé, mas isso não significa que ele tenha de desrespeitar a opção das pessoas. Temos de respeitar: se a pessoa foi de forma voluntária a uma comunidade e acha que está fazendo bem a ela, se essa comunidade está seguindo as regras do edital, não cabe ao Estado fazer tutela.
Na Cúpula das Américas na Colômbia, em 2012, a presidente Dilma se comprometeu com a discussão de cenários da legislação de drogas. A senhora é favorável ou contrária à descriminalização do uso de drogas?
-Sou contrária à descriminalização das drogas. Às vezes pode parecer dar resultado, se formos analisar em relação ao tráfico. Já vi muitos argumentos dizendo que enfraqueceria o tráfico. Mas necessariamente não enfraquece o impacto na vida das pessoas. Legalizar uma droga não quer dizer que minora o problema. Pode ser uma solução simplista. Hoje, uma das drogas mais motivadoras de violência no trânsito, em casa, contra as mulheres e crianças é o álcool. Temos de fazer campanhas periódicas falando do problema do álcool no trânsito.
Mas o álcool é uma droga legalizada. O que mais se discute em relação a drogas como a maconha é descriminalizar o uso e continuar a penalizar a venda, o tráfico.
-A nossa legislação já prevê a diferenciação. O ministro José Eduardo Cardozo recebeu os autores do projeto e foi bastante firme em dizer a proposição do governo. Não aceitamos elevar a pena. Temos de ter foco no traficante. Leia na íntegra

“A nossa legislação já prevê a diferenciação”. Será? A Faculdade de Medicina da USP tem outro foco sobre essa ideia de droga legal ou “socialmente aceita”: ”O crescente consumo de bebidas alcoólicas entre os jovens e a constatação de que o uso do álcool é o principal fator de risco para a carga de doenças que atinge os brasileiros justificam o primeiro dossiê da Revista USP deste ano. Especialistas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e da Faculdade de Saúde Pública, discutem o alcoolismo, tema de interesse que exige não só a reflexão da sociedade brasileira, mas o desenvolvimento de projetos e ações para conter o seu consumo abusivo e prejudicial. “O tema alcoolismo exige uma profunda reflexão sobre o estado atual da vida socioeconômica, cultural e de saúde”, observa o editor da Revista USP, jornalista Francisco Costa. O Trabalho foi publicado em Fevereiro de 2013. Leia na íntegra

UMA NOTA - O prédio da Lidador, na Rua Assembleia 65, será demolido para a construção de um edifício de 17 andares que se chamará Torre Lidador. A operação imobiliária foi feita pela Sergio Castro Imóveis. A loja, um ícone carioca, não desaparecerá. Tomará todo o térreo do futuro prédio, conservando sua "cara antiga" Temporariamente, a Lidador ficará na Rua da Carioca, onde funciona o bar Flora, do mesmo grupo. Joaquim F. dos Santos – O Globo (28.04)

Não é bolinho não! O estabelecimento “de bebidas e comestíveis finos”, instalou-se na Rua da Assembléia, 65, em 1924, isto é, há 89 anos. Criou um padrão de referência e qualidade em produtos nacionais e importados, que desde o início, tornou-se “extremamente chic e de bom gosto visitar e comprar no Lidador”. O endereço virou também ponto obrigatório para políticos, empresários e personalidades da vida brasileira, que iam com frequencia ao finíssimo barzinho da casa, "um marco da vida social", que existe até hoje. Foram frequentadores assíduos: os presidentes Dutra e Juscelino Kubitscheck, Salgado Filho, Assis Chateaubriand, Flexa Ribeiro, Oscar Bloch, Octávio de Souza Dantas e Carlos Lacerda. Cada um deles, entre centenas e centenas de outros tantos, não menos importantes, colaborou para consolidar o nome Lidador na história da cidade.

A notícia, afirma ainda que: A loja, um ícone carioca, não desaparecerá. Tomará todo o térreo do futuro prédio, conservando sua “cara antiga". Não creio. Nem mesmo Ivo Pitanguy poderá realizar uma façanha desse porte. Alguém disse e sei lá quando e aonde: “O cristal, depois que se quebra, jamais terá o mesmo valor que possuía antes”.



sexta-feira, 3 de maio de 2013


“A prefeitura de São Paulo propôs reajuste de 0,82% no salário do professor da rede municipal. Se desse uma barrinha de cereal pra cada um talvez evitasse a greve a partir de sexta-feira.”
Tutty Vasques

Registro do 30º Congresso da UNE em Ibiúna
O governo brasileiro vai acelerar os processos de anistia política dos ex-líderes estudantis que foram presos no 30º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE) em Ibiúna (SP), em 1968, durante a ditadura militar. [...] A decisão foi confirmada pelo presidente da Comissão de Anistia e secretário nacional da Justiça, Paulo Abrão, em reunião com dirigentes da União Estadual dos Estudantes de São Paulo. "Foi uma grande vitória da nossa geração poder conseguir a anistia da geração que nos formou, que criou as condições para que o movimento estudantil chegasse ao que é hoje", disse o presidente da UEE-SP, Alexandre Cherno. Leia

Semana passada havia falado dessa turma – confira. Minha amiga Cacau, que enviou o texto e a foto acima, subscreve: “Fique triste não, pois dessa foto sobraram algumas cabras, que embora, hoje, sexagenárias, com certeza não perderam suas ideologias: continuam “cabreiras” assim como devem ser todas as cabras”. Cacau zoa com a minha cara, mas na época do Congresso, em Ibiúna, ela nem havia nascido. Valeu amiga, pelo menos, permanece o sentimento de que as cabras são fieis.

Porém fica no ar uma pergunta: Quando o secretário nacional da Justiça, Paulo Abrão, dentre outras coisas, afirmou “...que criou as condições para que o movimento estudantil chegasse ao que é hoje”, ele se referia exatamente ao que? A UNE e Ubes - mãe e a tia de todas as uniões estudantis Brasil afora, atualmente ligada e controlada pelo PC do B, partido que integra, a base do governo federal - sofre com o aparelhamento e a burocratização, sendo incapaz de realizar os enfrentamentos necessários às lutas estudantis. Sua principal fonte de renda - a venda das carteiras de estudantes, benefício permitido por lei desde a década de 1930 – foi para o brejo, quando em 2001, o então ministro da Educação Paulo Renato, editou uma MP que concedia o direito de emitir a carteirinha de estudante a qualquer instituição de ensino. Agora cá pra nós anistiazinha demorada essa, né mesmo? Cadê o socialismo do século XX? Leia mais sobre o assunto.

A Oi iniciou sua operação de 4G no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (25). Nas cinco outras cidades-sede da Copa das Confederações (Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife e Fortaleza), a pré-venda e as ofertas comerciais começarão na primeira quinzena de maio. Mas, segundo a empresa, a infraestrutura de rede estará pronta até o dia 30 de abril, data-limite estipulada pela Anatel para o início da operação do 4G nesses locais. A corrida do 4G no Brasil começou na semana passada com a Claro, que já opera em todas as cidades sede da Copa das Confederações.  A Vivo deve fazer o anuncio de sua oferta de 4G no dia 30 de abril. Leia

Mas, porém, todavia, entretanto...”O serviço de telefonia móvel de quarta geração (4G) na faixa de 700 MHz não estará disponível na Copa do Mundo de 2014, mas isso não deverá comprometer o uso de celulares pelos turistas que vierem ao torneio, disse João Rezende, presidente da Anatel. Em 2014 não tem 700 MHz ainda. Em 2014 vai ter de trabalhar no 2,5 GHz, disse Rezende, lembrando que o leilão de 4G para essa faixa de frequência deve ocorrer em janeiro de 2014 e que não haveria tempo hábil para implementar a frequência antes dos jogos, que começarão em junho. Segundo Rezende, a faixa só deve começar a ser usada para o 4G a partir de 2015. A frequência é usada em vários países para essa tecnologia. Sem ela, parte dos turistas com celulares 4G que vierem ao mundial terá de usar a rede 3G”. Leia

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) entregará, na próxima segunda-feira (29), à Anatel, um ofício no qual questiona os primeiros passos da internet móvel com tecnologia de quarta geração (4G) no Brasil. Entre as argumentações está a de que a limitação de downloads abreviará a alta velocidade alardeada como a grande vantagem do novo serviço. “É como você pagar por uma carruagem que no meio do caminho vira abóbora. Quem contrata o serviço 4G quer transmitir muitos dados de forma rápida. Se as operadoras põem um limite de quantidade de dados e decide que, ao atingi-lo, a velocidade da rede diminui, elas, de certa forma, estão enganando o consumidor” – disse a jornalistas a coordenadora institucional da Proteste, Maria Inês Dolci. Leia

A coisa, como parece ser regra no Brasil, já começa mal. “Há mais sortilégios entre as operadoras de telefonia celular e a Anatel, que a vã filosofia, de seus usuários, possa imaginar", diria Shakespeare, se precisasse usar a internet móvel no Brasil. Como afirmou a Maria Inês, dá pra sentir, pelo andar da carruagem, que a magia, dessa fada-madrinha, tá operando na faixa da bruxaria. O - precocemente velho - serviço 3G, em alguns lugares deste país - e não são poucos - ainda nem consegui calçar seu “sapatinho de cristal”.

Se por muito menos o tomate fez um estrago na economia doméstica, imagina aonde vai parar o preço da abóbora, se a tal fada-mandinga - OPs! – fada-madrinha não reunir os poderes mefistofélicos necessários para operar essa magia?

A direção nacional do PT determinou a retirada do ar de inserção regional de TV do partido no Maranhão na qual eram feitos ataques ao governo Roseana Sarney. Uma ala do PT integra o governo do estado, mas o partido é rachado, com o outro setor do partido radicalmente contra a família Sarney. A governadora teria se queixado ao ex-ministro José Dirceu, com quem se reuniu segunda-feira, em São Luís. Informado, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, determinou a interrupção da veiculação do programa. A inserção, de 30 segundos, era estrelada por Marcio Jardim, integrante da executiva estadual do PT. Ele começa elogiando os governos Lula e Dilma Rousseff, afirmando que o Brasil melhorou muito, e faz um contraponto com a situação do Maranhão: "O Maranhão continua ostentando os piores indicadores sociais do país. Somos os piores na Saúde e na Educação. Vivemos num estado de profunda insegurança, medo e violência, que aterroriza todos nós. Com o PT, haveremos de inaugurar um tempo de mudança, renovação e esperança para o Maranhão". Leia

Da série Tá certo isso Arnaldo? - A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, que já foi senadora, pediu a aposentadoria ao Senado. A medida foi publicada no Boletim Administrativo da Casa e vai lhe render um benefício de R$ 20,9 mil, valor que se somará aos R$ 15,4 mil que ela já recebe para comandar o Estado. Segundo sua assessoria, Roseana não pretende abrir mão do salário atual por conta do novo rendimento. Com o acúmulo dos dois vencimentos, ela terá um salário de, pelo menos, R$ 36,3 mil, superior ao salário dos ministros do STF, hoje em R$ 28.059,29, que é o teto do funcionalismo público. Leia

 “Brasil, um país do futuro... do pretérito!
Cacau Quil





quinta-feira, 2 de maio de 2013


“Acredito que a caxirola faz parte não só do futebol, mas da imensa capacidade do nosso país de fazer um instrumento muito mais bonito que a vuvuzela”
Dilma Rousseff, ao lançar a caxirola.

A delgada federal, Helô, no exato momento em que era comunicada
sobre a legalização do tráfico de médicos para o Brasil.
No encontro com a Frente Nacional de Prefeitos, a presidente Dilma foi enfática na defesa da importação de médicos da Espanha e de Portugal. Sobre a resistência dos sindicatos, disse que “é uma briga que vale a pena ser enfrentada”. Ilimar Franco – O Globo

Opção1 - Com o dinheiro que ganhou limpando sapatos de juízes, desembargadores e advogados, o engraxate Joaquim Pereira, de 24 anos, acaba de se formar em direito em uma instituição particular de Goiânia. Mesmo com o diploma em mãos, ele não abandonou o ofício que aprendeu quando era criança e que lhe rende cerca de R$ 2 mil por mês. Agora, o objetivo é se preparar para passar no Exame da OAB e, depois, continuar estudando para ser promotor de Justiça. “Não quero ser qualquer profissional”, ressalta. Até lá, o jovem comunicativo e bem-humorado continuará cativando seus clientes como engraxate nas ruas do centro da capital. Sem deixar a vaidade de lado, já que uma das suas peculiaridades é trabalhar sempre bem vestido, com calça, camisa e sapatos impecáveis. Leia

Opção2 - Ela tem 21 anos, é recém-formada em letras pela Universidade Federal de São Carlos, exibe em tatuagens pelo corpo frases de Guimarães Rosa e Manuel Bandeira, adotou como pseudônimo um nome que faz referência a um personagem do escritor russo Vladimir Nabokov e assume, sem problemas, ser garota de programa. Gabriela Natália da Silva, ou Lola Benvenutti, mantém um blog em que escreve contos baseados nas experiências com seus clientes e chama a atenção ao tentar quebrar o tabu do sexo. “Sempre gostei de sexo, então tinha um desejo secreto de trabalhar com isso e não há nada mais justo, faço porque gosto”, afirmou em entrevista ao G1. A realidade de Gabriela sempre foi diferente da vida de uma parcela das garotas de programa que são universitárias e optam por se prostituir para manter as despesas com os estudos. [...] O site recebe cerca de duas mil visitas por dia e é nele que Lola posta sua rotina como prostituta. Leia

O descaso por algumas profissões no Brasil é gritante. Lideram a lista os professores, mas depois da política do governo, para “legalização do tráfico de médicos” - que talvez seja mais um caso para a delegada Helô – a coisa desanda. A opção do engraxate Joaquim Pereira, faz sentido e deixa bem clara essa situação. Quanto aos médicos... bem, aqueles que se sentirem prejudicados pela concorrência do tráfico internacional de médicos, resta-lhes a Opção2, da Gabriela, vai que...! Mas é bom lembrar: o Brasil não anda precisando importar médicos, precisa sim de hospitais decentes, para que os doutores, nativos, possam trabalhar honestamente.

Nota de rodapé: Semana passada, em uma entrevista a Joaquim Ferreira dos Santos, o cirurgião plástico Ivo Pitanguy, quando perguntado, sobre “uma mulher bonita”, ele não vacilou e mandou, na lata: “Giovana Antonelli, o rosto dela é perfeito”. Como dizia minha vó, Da Elizabeth, a primeira e única - pelo menos por parte de mãe: Quem pode, é! O resto se engana no Photoshop. 

Literatura em pílulas - Editoras desmembram o livro para vendê-lo em textos curtos, na forma digital e em papel antes que o livro morra, como os apocalípticos apostam que ocorrerá, o mercado editorial resolveu fazer picadinho dele. Há picadinho de papel e picadinho digital, ambos a preços camaradas. No rastro de uma tendência iniciada no exterior, editoras brasileiras começam a desmembrar títulos e vender apenas um conto, um ensaio ou outras narrativas curtas. Sim, você já viu esse filme, quando, há quase uma década, a indústria fonográfica passou a oferecer faixas separadas de seus álbuns. O princípio dos editores é quase o mesmo - os arquivos digitais dos e-book também agilizam o processo industrial de produção-, mas no mundo livreiro a ideia foi transposta ao formato físico. Pelo menos duas grandes editoras, L&PM e Companhia das Letras, lançaram, em papel, coleções de narrativas breves, em geral retiradas de títulos de seus catálogos.

A praticidade das plataformas móveis também é apontada como um trunfo por Fabio Uehara, que cuida dos projetos digitais da Penguin-Companhia das Letras. Em abril, a editora começa a vender, por R$ 7,50, e-books da coleção Grandes Ideias, de ensaios consagrados. Textos curtos são ainda o foco do projeto digital da editora Objetiva, em fase de implantação, coordenado pelo jornalista Arthur Dapieve. Ele conta que os e-books terão em torno de 30 mil palavras, ou cerca de 50 páginas de um livro tradicional. "Textos desse tamanho são curtos demais para serem publicados em livro e muito grandes para serem publicados em jornal. Há aí uma lacuna, que pretendemos preencher", relata Dapieve. "Temos de explorar as possibilidades do digital, fazer diferente do impresso. Seria impossível vender só um conto no papel", diz o diretor editorial da “34”, Paulo Malta. Leia

Taí uma boa ideia e tomara que dê certo. Mas seria bom que os livreiros não se empolgassem muito com os preços. Por enquanto, é bom fazer bem essas contas, pois dependendo do livro, é melhor compra-lo na livraria, por inteiro. Mas o conceito da literatura em pílulas é genial e vamos torcer pelo seu sucesso, até porque livro tá caro pra caramba.

Nota de rodapé: Depois que as indústrias fonográficas instituíram a opção de comprar faixas separadas de seus álbuns, nunca mais comprei um cd. Baixo o que quero - e de quem quero - pelo iTunes, a um preço médio de U$ 1,00, por música – e, pelo menos no iTunes, a qualidade é bem melhor que o mp3 que rola por aí – mas é preciso tomar cuidado, pois o formato das músicas do iTunes (acc), pode não ser reconhecido pelo seu player. 

A Caxirola insurgente: A “revolta da caxirola” ocorrida no primeiro tempo do Ba-Vi  [jogo entre o Bahia e o Vitória, em Salvador], do último domingo não deverá ficar impune. Nesta segunda-feira, a Polícia Militar (PM) anunciou que irá punir os torcedores que atiraram no gramado o instrumento criado por Carlinhos Brown para ser utilizado na Copa das Confederações deste ano e na Copa do Mundo de 2014. Leia mais.

Segundo minha amiga Cacau, o movimento começa a tomar força Brasil afora. Lá na Capital já se fala em “Caxilore o Congresso Nacional”, em analogia ao “Occupy Wall Street” (setembro de 2011) - movimento de protesto contra a desigualdade econômica e social, a ganância, a corrupção e a indevida influência das empresas, no governo dos Estados Unidos - que ocupou o Zuccotti Park, em Manhattan, NY. Me perdoem o lugar comum, mas imagine uma “revolta da caxilora”, na Copa? 

Foram sete dias sem voltar para casa. Na quarta-feira, eu e três polici­ais desembarcamos de um blindado. Estávamos em campo aberto e ficamos num fogo cruzado, tomando tiro de um lado e granada de ou­tro. Fui atingida por estilhaços no tornozelo. O rádio não pegava, a munição estava acabando e o blindado quebrou e não podia nos res­gatar. Mas no tiroteio não dá tempo de ter medo, senão você congela. Felizmente outro blindado nos pegou. Fui a um hospital, tirei sete es­tilhaços e voltei. A ocupação foi no domingo”.

Relato sobre um momento da Guerra na Síria? Cenas de um conflito entre o exército de Israel e o Hamas, na Faixa de Gaza? Não é a descrição de como foi a ocupação da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão  – por Flávia Louzada, cabo do 22º BPM da Maré, em (trecho) da entrevista a Mauro Ventura, para Revista O Globo (21.04.13).