*Não fosse o amanhã, que dia agitado seria o hoje!

terça-feira, 31 de maio de 2016

Tchau, queridos!

"Podem falar o que quiserem: o Eduardo Cunha é a pessoa central do governo Temer. Isso ficou claríssimo agora, com a indicação do André Moura. Cunha não só manda: ele é o governo Temer. E não há governo possível nos termos do Eduardo Cunha" Dilma em entrevista à Folha


"Dilma mente tanto que já estamos aprendendo a identificar quando ela mente; basta mover os lábios. Se até o Lula se arrependeu de ter escolhido ela, imaginem aqueles que ela fez de idiota, mentindo na eleição. Para ela, apenas uma frase: tchau querida" Cunha em sua conta no twitter


  
Farinhas do mesmo saco - Nem mesmo a informação de que o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), fraudou contas eleitorais — publicada neste domingo no GLOBO — foi capaz de levar os partidos na Câmara a tomarem medidas mais drásticas contra o deputado. Uma conjunção de interesses faz com que Maranhão se mantenha no cargo sem receber ataques, seja da nova base governista, seja da nova oposição, ou até mesmo de partidos mais independentes, como PSOL e Rede. O discurso da maioria dos partidos ontem era de que iria “analisar” a questão.
De acordo com a reportagem, Maranhão declarou à Justiça Eleitoral ter financiado parte de sua campanha em 2010 com o dinheiro obtido na venda de sua casa em São Luís, que continua em seu nome e onde mora até hoje. Em entrevista, um dia após as revelações de O GLOBO, Maranhão disse que se trata de "matéria transitada em julgado" e se eximiu de explicar a fraude. Postado por Foca Veiga em sua conta no twitter @FocaVeiga47
èDaqui a alguns meses teremos eleições municipais (prefeitos, vice-prefeitos e vereadores). Sugerem os mais otimistas que será um bom momento pra começar a sanear, pela base, a estrutura desse ninho de ratos que atende pela alcunha de Poder Legislativo. Será? Sei não, até porque se for pra exterminar essas pragas pra valer, em breve não teremos mais eleições por falta de “matéria prima” para realizá-las e, sem candidatos, vamos eleger quem ou o que?.
No mais: Sérgio Machado sabe das coisas. Conversando com Renan Calheiros, fez um comentário escatológico sobre o Supremo Tribunal Federal e previu: "Com essa mulher vai ser pior ainda" Acertou. Em setembro, a ministra Cármen Lúcia assume a presidência do Tribunal, com a faca nos dentes. Elio Gaspari/O Globo domingo 29

   
Pelo rabo, pode? - Na quinta, o Supremo Tribunal Federal vai retomar o julgamento para determinar se é constiuicional ou não uma lei do Ceará que, em nome da tradição cultural, autoriza a prática da vaquejada. O ministro Marco Aurélio votou pela proibição; Fachin e Gilmar, pela legalidade da prática. Luís Roberto Barroso, que pediu vista, será o próximo a votar. A vaquejada... como se sabe, é uma competição onde uma dupla de vaqueiros a cavalo busca derrubar um touro pelo rabo. Ancelmo Gois/O Globo domingo 29
E pelo saco? - A organização da Festa do Peão de Barretos divulgou a pré-programação de shows da 61ª edição do evento, que acontece de 18 a 28 de agosto no Parque do Peão, em Barretos (SP). Os ingressos estão à venda na internet e custam de R$ 5 a R$ 890... Segundo Hussein Gemha Junior, presidente do clube Os Independentes, estão previstos mais de 100 shows durante os 11 dias da festa... Cowboys e peoas também encaram as disputas nos cavalos nas modalidades Sela Americana, Bareback e Cutiano, Team Penning e Três Tambores. CONFERE LÁ èO que poucos sabem é que os touros enfurecidos dos rodeios usam um artefato chamado sedenho: “Sedem ou sedenho é um artefato de couro ou crina que é amarrado ao redor do corpo do animal (sobre pênis ou saco escrotal) e que é puxado com força no momento em que o animal sai à arena...” Leia mais em Rodeios

A demissão de ministros do governo Dilma Rousseff e a cassação do mandato do senador Delcídio Amaral provocarão uma reconfiguração na Operação Lava Jato. Assim, a expectativa do juiz federal Sérgio Moro de terminar até dezembro os processos na 1.ª instância, dita por ele a interlocutores, não deve se concretizar. Sem direito a foro privilegiado, membros do primeiro escalão do governo da petista investigados por envolvimento no esquema de corrupção na Petrobrás começam a ter seus inquéritos e ações penais redistribuídos para varas estaduais. Confere na íntegra

segunda-feira, 30 de maio de 2016

"Questão de honra" tem que ser pra sempre

A Lava Jato passou a caminhar com suas próprias pernas. Ela se autonomizou e quem quer que seja, individual e coletivamente, não a deterá. A Lava Jato se vacinou contra interferências à sua continuidade. Tornou-se, portanto, um patrimônio objetivo do povo. Ela se tornou uma questão de honra nacionalAyres Britto Ex-presidente do Supremo Tribunal Federal

Brasil futuro - Se o teto para o crescimento dos gastos públicos proposto pelo governo Michel Temer for aprovado pelo Congresso Nacional, as contas públicas só devem começar a registrar superávit no último ano de mandato do próximo presidente da República... Projeções feitas pelo especialista em finanças públicas Rodrigo Orair, do Ipea, apontam que os gastos do governo podem cair quatro pontos porcentuais em dez anos, passando de 19,8% do PIB este ano para 15,8% em 2026. As simulações, que usam como parâmetro a média de estimativas dos analistas do mercado financeiro para crescimento da economia e inflação, sugerem que somente em 2026 o superávit primário chegaria a um patamar mais confortável, de 2,2% do PIB. CONFERE LÁ
Pesquisa Q&M – “Em 1941, o Brasil tinha pouco mais de 40 milhões de habitantes – e 56% deles eram analfabetos. Quase 70% da população vivia em áreas rurais, e praticamente metade das exportações do País restringia-se a produtos agrícolas – o café respondia, então, por um terço de todas as vendas ao exterior... e perto de um terço das pessoas de 7 a 14 anos estava fora da escola. Nada que diminuísse o otimismo de Stefan Zweig - escritor austríaco que nesta época vivia no Brasil fugindo do Nazismo – que encasquetou que o Brasil, aquele país pobre, pouco industrializado e analfabeto de 1941 – e que vivia sob uma ditadura - seria o país do futuro” e escreveu e lançou o livro “Brasil, País do Futuro”. O livro “que deu ao Brasil um sobre nome” virou um mantra do otimismo décadas afora. Já se vão 75 anos. De lá pra cá algumas coisas, claro, mudaram, mas o futuro ainda não chegou. Segundo o Ipea tá previsto pra que daqui a mais uns dez anos ele - o futuro – se faça “presente”. Pena, pois não sei se vou tá por aqui pra conferir... mas cá pra nós, prefiro assim, pois vai que lá chegando adiem por mais tempo esse futuro?   - Fonte de pesquisa economia.ig.com.br

A senhora fala que o programa de Temer não passou pelas urnas. Mas a senhora também falou uma coisa na campanha e fez outra depois de eleita.
-Quando é que o pessoal percebeu que tinha uma crise no Brasil, hein? A coisa mais difícil foi descobrir que tinha uma crise no Brasil.
Na eleição, todo mundo tinha percebido, menos a senhora?
-Me mostra a oposição falando que tinha crise no Brasil! Ninguém sabia que o preço do petróleo ia cair, que a China ia fazer uma aterrissagem bastante forte, que ia ter a pior seca no Sudeste.
A senhora diz então que não deu uma guinada de 180º, como até seus aliados afirmam?
Eu vinha numa política anticíclica e acabou a política anticíclica. A guinada é essa. Agora, isso não significa que não possamos ter errado nisso e naquilo. Porque senão fica assim “não errei em nada”. Não é isso.
Errou em quê?
-Ah, sei lá. Como é que eu vou falar da situação depois?
Na escolha do candidato a vice-presidente?
Trecho da hilária entrevista de Dilma Rousseff à Folha de São PauloConfira na íntegra

“Tempo bom. Tempo de bonde;
do bonde do bem, daquele tempo”
Antonio de Pádua

Bondes trafegando no centro de São Paulo na década de 60
Foto Estadão

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Sexo, mandingas e gravações, não necessariamente nesta ordem

O maior temor para um investigado é que seu caso caia nas mãos do juiz Sergio Moro, da Justiça Federal no Paraná. O objetivo claro de Machado em todas as conversas é que o processo contra ele seja mantido nas mãos do STF. Moro é considerado a ‘Torre de Londres’, um centro de torturas. A prerrogativa de foro no STF é vista como proteçãoHelio Gurovitz, ontem, no G1

Mandingas seculares - Os populares anúncios que prometem trazer o amor em sete dias são bem mais antigos do que se imagina. Pesquisadores da Universidade de Udine, na Itália, conseguiram decifrar dois papiros egípcios, escritos há aproximadamente 1.700 anos, com feitiços para conquistar a pessoa amada. Em um deles, deuses são invocados para “queimar o coração” de uma mulher até que ela ame o feiticeiro. No outro, palavras mágicas devem ser proferidas para “subjugar” um homem e forçá-lo a fazer tudo o que lhe for mandado.
Segundo o autor das traduções, Franco Maltomini, os dois feitiços não eram direcionados a uma pessoa específica, mas serviam como uma espécie de receita, informa o site Live Science. Quem quisesse lançar a magia precisava apenas inserir o nome do alvo desejado, que os deuses eram invocados. Os papiros são datados do século III d.C., mas a autoria dos feitiços é desconhecida. Os textos são escritos em grego, uma língua amplamente utilizada no Egito na época. Leia na íntegra
Aliás e a despropósito: O deputado afastado Eduardo Cunha entrou com um pedido no STF para que possa voltar a frequentar o seu gabinete na Câmara. O caso vai ser avaliado pelo ministro Teori Zavascki, responsável pela Lava Jato na Corte. Na peça, os advogados de Cunha sustentam que o mandato dele foi suspenso, mas que ele continua com “direitos políticos preservados” e, por ainda ser filiado ao PMDB, “não está impedido de exercer atividade partidária, como qualquer cidadão”. Por isso, a defesa pede que Cunha possa se dedicar ao “exercício da atividade partidária, desvinculada de exercício próprio do mandato parlamentar, inclusive com a possibilidade de frequentar o seu gabinete”. CONFERE LÁèQuem sabe Cunha batesse um papo com o Maltomini, a coisa destravava? Agora, cá nós, comparar Cunha a “qualquer cidadão” ofende a sociedade, né não?  

A culpa é do Aedes - Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro contarão com distribuição de preservativos e lubrificantes recorde na história das competições. Os mais de 10 mil atletas e cerca de 7 mil membros de mais de 200 delegações que competirão terão à disposição 450 mil preservativos e 175 mil sachês com lubrificantes, segundo o Comitê Rio 2016. O objetivo da distribuição é evitar que doenças sexualmente transmissíveis, incluindo as causadas pelo vírus da zika, se espalhem pelo mundo.
 Ainda de acordo com o Comitê, o número de preservativos corresponde a três vezes o número distribuído nos Jogos de Londres, em 2012. Entre as 450 mil camisinhas que serão disponibilizadas, 100 mil delas são femininas. CONFERE LÁèEsses caras vêm pra cá pra “jogar” ou pra fornicar? Essa quantidade de preservativos, nunca antes vista na história das Olimpíadas, “representa uma média de mais de 42 preservativos por atleta para os 17 dias de competição”, conforme informa o site do “El País” - confere aqui - ou seja, mais de duas camisinhas/dia por “atleta”. Pra justificar esta farta distribuição de preservativos tão botando a culpa no mosquito, mas aí tem cheiro de cambalacho entre, federações, governos, políticos e tudo o mais que a nossa vã inocência possa imaginar. Nossos aedes não merecem tamanho desapreço.

Há dois anos que não se governa neste País.
Só se ofende e se defende
José Mariano Beltrame
 - Secretário de Segurança do Rio -


O secretário de Estado de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, criticou o governo do estado pela falta de programas sociais em apoio à atuação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Titular da pasta desde 2007, as queixas somam-se à frustração pelos cortes orçamentários, que interromperam a expansão da polícia pacificadora. Em entrevista, ele chega a perguntar "para onde foi o dinheiro da assistência social?". 
Beltrame já não nega que deixará o cargo após a Olimpíada. Na última terça-feira (24), na Assembleia Legislativa fluminense, em sessão da CPI dos Autos de Resistência, não escondeu o desgaste. "Tenho motivos de sobra para estar desanimado. Há dois anos que não se governa neste País. Só se ofende e se defende." O abatimento do secretário tem mais uma razão: só neste ano, 40 policiais foram assassinados. Para ele, as mortes têm nova cara: os policiais estão sendo emboscados. CONFERE LÁ

A revelação de que Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, teve homologada sua delação premiada pelo STF reforçou a estratégia do Planalto de encurtar os prazos do impeachment de Dilma Rousseff no Senado. Os governistas avaliam ter hoje os votos necessários para tirar de vez a petista do cargo e querem concluir o processo antes de um eventual aumento da instabilidade política. CONFIRA
No mais: “É invejável pra qualquer ser humano ver Sarney, com vitalidade, fazendo essa estrepolia toda na República. Deus me dê a saúde desse imortalJorge Bastos Moreno em sua conta no twitter @RadiodoMoreno

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Somos todos bacalhau

Era esperado. Era esperado que um dos membros do “ministério pragmático” de Michel Temer, desse com os burros n’água, fosse pego com a boca na botija, não tivesse destreza para dar nó em pingo d’água. Afinal, para quem é bacalhau, basta. Não é assim que pensam nossos governantes? Não somos todos bacalhau em casa de ferreiro, espeto de pau?” Monica De Bolle/Estadão

Engole o choro! - Os protestos em frente de sua casa, na capital paulista, deixaram o presidente interino indignado. Na segunda-feira, quando um grupo de 40 manifestantes se concentraram em frente a sua residência aos gritos de "golpista", sua mulher, Marcela, telefonou a ele, em Brasília, preocupada que houvesse invasão. Marcela estava chorando ao telefone, segundo relato de um auxiliar presidencial. O filho caçula, Michel, acordou com o barulho e a mãe de Marcela foi para a janela pedir que parassem. Durante discurso nesta terça-feira, Michel Temer afirmou que foi secretário de Segurança de São Paulo e "tratava com bandidos". Ele se referia especificamente aos protestos em frente da sua casa. CONFERE LÁ èEngole o choro! Tá na chuva é pra se molhar. Da próxima vez, viu que vai chover, não saia de casa ou então leve um guarda-chuva. 

Tolinho - O presidente interino, Michel Temer, ficou muito decepcionado com o ex-ministro Romero Jucá. Um assessor conta que ele teria comentado que “todos dizem que não tem problema”. Jucá repetia que era investigado, mas estava tudo sob controle. Para Temer, o fato foi contundente, e, diante da realidade, era sua obrigação pensar no governo acima de qualquer outro tipo de consideração. O afastamento de Romero Jucá não foi pacífico. Jucá recusou-se a deixar o Ministério, mas Temer não titubeou. Para Jucá a entrevista tinha bastado. Mas Temer estava convencido de que viria muita pancadaria e que era preciso colocar um ponto final num fato que ofuscava as iniciativas para criar uma agenda positiva.
Para o time de Temer, era preciso reagir. O episódio poderia contaminar o governo, e, por isso, era fundamental limpar o terreno. Ilimar Franco/O Globo, terça, 24 èO Q&M quer saber: Nesta fast-defenestração, quem você acredita quem leva o troféu “Tolinho”:
1.Michel Temer.
2.O “Um assessor”.
3.“O time do Temer”.
4.O coelhinho da páscoa.
5.Marcela Temer e Michelzinho.     
6.O “bacalhau da casa do ferreiro”.

Um bacalhau na sala - O STF, que legisla sobre tudo e qualquer coisa, precisa resolver de uma vez por todas o problema que criou para a Câmara dos Deputados com a suspensão do mandato de Eduardo Cunha. Como Cunha teima em não renunciar à presidência da Câmara, embora impedido de exercê-la, os deputados não podem eleger um novo presidente. Assim será até fevereiro próximo quando termina o mandato de Cunha como presidente. Ricardo Noblat/O Globo, quarta 25.

Um twitter que não quer calar

O ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, usou sua conta oficial no Twitter para repercutir o escândalo que levou à saída de Romero Jucá do Ministério do Planejamento. “Bem, eu avisei”, disse o ex-ministro. CONFERE LÁ

Se há uma coisa que Michel Temer não pode dizer é que a cigana o enganou. Estava escrito nas estrelas e em toda parte que não seria aconselhável nem aceitável subestimar o peso da Lava Jato na escolha de nomes para compor o Ministério. Numa imprudência que não lhe é peculiar, o presidente foi logo de início avisando que a condição de investigado não impediria ninguém de compor sua equipe. Contratava, naquela declaração, um risco. O mais óbvio em vista das circunstâncias: provocar justificadas contrariedades. Afinal, uma das razões que levaram a maioria da população a querer ver o PT afastado do poder, foi o repúdio não só às más condutas comprovadas, mas também àquelas questionadas sob os aspectos da legalidade e da ética. Dora Kramer/EstadãoLeia na íntegra

quarta-feira, 25 de maio de 2016

A pressão tá subindo

É impensável supor que alguém tenha a capacidade de paralisar as investigações. Ou que qualquer pessoa pode ter acesso ao Supremo para parar as investigações. O ministro que chega ao Supremo só responde a sua biografia e a mais ninguémLuís Roberto Barroso, ministro do STF, referindo-se à divulgação de grampos, em que Romero Jucá, fala sobre um “pacto” para deter a Operação Lava-Jato.

Na pressão1 - O deputado Eduardo Cunha, suspenso do mandato por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), voltou a ser sondado sobre a possibilidade de renunciar à presidência da Câmara dos Deputados. Em troca, não seria cassado pelo Conselho de Ética, e sim suspenso (desta vez por decisão do parlamento) por até três meses. Cunha rechaça a proposta.
O grupo que defende a ideia deve voltar a insistir. Diz que, sem a renúncia de Cunha, a confusão na Câmara tende a aumentar, dificultando a vida do governo, que dificilmente conseguiria aprovar medidas impopulares que planeja enviar à Casa sem um presidente forte para tocá-las adiante. Waldir Maranhão (PP-MA), que assumiu o cargo depois que Cunha foi afastado pelo STF, nem sequer consegue presidir sessões corriqueiras. Mônica Bergamo/Folha, terça 24
Mas, enquanto o “japa” não vem: Dinheiro meu, seu, nosso - Os gastos autorizados pela Mesa Diretora com o deputado afastado Eduardo Cunha somam R$ 536.485,63 por mês! O levantamento foi feito por técnicos a pedido do PSOL. Ancelmo Gois/O Globo na segunda 23
Na pressão2 - O presidente em exercício Michel Temer sabia que não seria fácil, mas não sabia que seria tão difícil. Cada dia, sua agonia – ou, cada dia, o seu amigo ou ministro problemático. Se Eduardo Cunha é um peso enorme, Romero Jucá não fica atrás. Os dois, juntos, já puxam Temer e seu projeto para um limbo de interrogações. Mas eles não são os únicos.
Na fita revelada ontem pelo repórter Rubens Valente, Jucá discute com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado um “pacto” para garantir o impeachment de Dilma Rousseff, a posse de Michel Temer e a interrupção pelo meio da Operação Lava Jato. No caso da Lava Jato, era inexequível, pouco mais que um devaneio, mas virou um imenso constrangimento para o governo interino e um explosivo combustível para o discurso da nova oposição e os movimentos que acossam Temer. Por Eliane Cantanhêde/EstadãoLeia na íntegra
Comentário de rodapé: Pode ser só uma impressão, mas a conversa entre o ministro Romero Jucá e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, descrita em gravação publicada hoje [segunda, 23], na Folha, é o primeiro, significativo e, a depender da reação, definitivo estrago do governo interino de Michel Temer. Ali não tem escapatória: os dois dão ao impeachment o caráter de salvação para os políticos envolvidos na Operação Lava Jato. Não há outra interpretação possível. Não falam de economia, de crise nem nada. A referida “sangria” a ser estancada, a que se referem, é a Lava Jato. Refazendo a primeira frase: não é mera impressão, é constatação. Dora Kramer/EstadãoCONFERE LÁ

Opinião de rodapé: O receio é o caldeirão, em que vai sendo cozido, em fogo altíssimo, toda essa mixórdia, não resista a tanta pressão e exploda... e aí, sabe-se lá as consequências.  

Parlamentar latente - Sophie Tanner, de 37 anos, está comemorando um ano de casada. Com ela mesma. Sim, a moradora de Brighton (Inglaterra), decidiu se casar com ela própria depois de procurar em vão, durante 20 anos, o parceiro ideal. O casamento foi tradicional e com forte apoio dos familiares. O pai de Sophie a levou a um altar improvisado e um amigo vestido de religioso celebrou o matrimônio. Vestida de branco, a inglesa jogou o buquê e seguiu todo o protocolo. Só faltou o noivo.
"Casar-me comigo mesma foi algo que nunca havia planejado, mas estava feliz e quis me comprometer comigo mesma", disse Sophie, de acordo com reportagem do "Daily Star", porém... Em um ano de "casada", Sophie saiu com alguns homens. Entretanto ela nega que tenha cometido "traição". "Não estou cometendo qualquer crime", disse. Ninguém lhe agradou e ela continua comprometida com ela mesma. CONFERE LÁ - èCom tanta engenhosidade se Sophie vivesse no Brasil e se candidatasse a uma vaga - seja lá em que “casa” fosse - no Congresso Nacional ganhava fácil, né não? Quem sabe até viesse a comandar um Ministério. E “Há Vagas”... isso se o ‘‘caldeirão’’ não explodir. 

Em palestra no Fórum o organizado pela revista "Veja" nesta segunda-feira, o ministro afirmou que o sistema político brasileiro é um fomento à corrupção no Brasil, que a sociedade atual não aceita mais a corrupção e que é necessário a continuidade das investigações. O magistrado defendeu o fim do foro privilegiado da maneira como existe hoje no Brasil.
O foro frequentemente leva à impunidade, porque ele é manipulado e permite a manipulação da ação... Nós temos um sistema político caríssimo e um mecanismo de financiamento eleitoral que é um fomento à corrupção” — afirmou o ministro. Leia na íntegra

terça-feira, 24 de maio de 2016

A realidade da “virada cultural”

Uma sociedade culta no sentido tradicional da palavra é mais difícil de enganar por governos mafiosos e autoritários. Se tudo se torna frívolo, puro entretenimento, perde-se esse efeito crítico e transformador da culturaVargas Llosa em entrevista a revista ÉPOCA

Assim fica difícil - A nova edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, publicada na última quarta-feira, 18, é um desafio para aqueles que gostam de ver o copo meio cheio. Sim, o número de leitores no Brasil aumentou desde 2011. Eles passaram de 50% a 56%. Mas, quando se considera que 44% dos habitantes da oitava economia do mundo não leem regularmente, em pleno século 21, e que 30% nunca adquiriram um livro, é difícil encontrar causa para celebração. Leia na íntegraèNão é bolinho não – Fazendo uma conta rápida sem muitas elucubrações, pois isso não é uma tese acadêmica, levando em consideração(*) uma população de 200 milhões de brasileiros, na faixa etária que vai de 12 a 60 anos - aproximadamente 140milhões de potenciais leitores, já descontando os analfabetos - 30% representam 42 milhões de brasileiros. Vixe! (*) Fonte dos números: censo IBGE e outras.
E assim, mais difícil ainda - Anitta é imbatível no Rio e sucesso em várias grandes capitais. De acordo uma pesquisa inédita da Crowley, consultoria especializada em música, Anitta deu voz às duas músicas mais tocadas nas rádios cariocas entre janeiro e abril, "Essa mina é louca" e "Bang". Em Salvador, é a segunda mais executada; em Porto Alegre a sétima; e, em São Paulo e Brasília, é a oitava mais ouvida... As vinte músicas mais tocadas nas rádios são “sertanejas”, a praga do momento - Lauro Jardim/O Globo domingo 22.
Nota de rodapé: As aspas do “sertanejas” são minhas, pois com todo respeito ao Lauro, existe uma grande diferença entre música sertaneja e a "música" das duplas sertanejas, estas sim, “a praga do momento”.
Mas... “Não tá fácil para ninguém” - Uma casa de saliência na Rua Ouvidor, no Centro do Rio, passou a aceitar o parcelamento do programa em três vezes sem juros. O cliente ainda tem direito a um cartão de fidelidade - Ancelmo Gois/O Globo domingo 22.

Estamos perdidos - A criminalidade que mata, fere e aleija é um assunto lateral da política, reservado ao discurso dos demagogos. E, no entanto, a criminalidade é onipresente no cotidiano de todas as classes sociais, em especial as mais pobres, que não têm o refrigério de, às vezes, experimentar a libertação de andar numa rua de nação desenvolvida.
O Brasil é o país com o maior número absoluto de homicídios por ano. Em  2014, foram 59.627. Ou 29 em cada 100.000 habitantes. Para mostrar como estamos longe da civilização, na Itália, a proporção é de 0,9 por 100.000 habitantes. Sim, a Itália das grandes máfias. Mais um susto estatístico: somos responsáveis por 10% de todos os assassinatos cometidos no planeta, embora sejamos apenas 3% da população mundial. O Brasil é de uma ferocidade bem calculada.
Em 2006, coordenei uma edição da Veja dedicada à criminalidade brasileira. Os repórteres levantaram as suas causas. Falta de policiamento ostensivo, investigação precária, leniência penal e sistema prisional em ruínas estão na base do nosso medo de levar um tiro. A porosidade das fronteiras também. Publicamos um mapa detalhado, para mostrar por onde entram drogas, armas e contrabando de bens. A edição foi muito elogiada por políticos, mas desde então a situação só fez piorar.
Recentemente, ouvi de um ministro que o Exército não queria ajudar no combate a traficantes e contrabandistas, porque os comandantes tinham medo de que oficiais e soldados passassem para o lado dos bandidos. Estamos perdidos - Por Mario Sabino/OAntagon!ista na sexta 20.

A foto que não quer calar

Postado no Twitter por  Paulo36  ‏@Paulox36  
Clique na imagem para ampliar

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Tá difícil acompanhar esse jogo

"É difícil hierarquizar o principal erro" Edinho Silva, ex-ministro da Comunicação Social, sobre erros da gestão de Dilma Rousseff

Porque não renuncia? - “Se eu renunciar, vocês têm alguma dúvida de que vou preso? E se eu for preso, vocês acham que vou sozinho?”. O diagnóstico seguido de ameaça foi feito pelo presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a um grupo de deputados dias após a decisão do Supremo Tribunal Federal determinar seu afastamento do cargo e do mandato. As colocações de Cunha aos aliados servem para ilustrar, em parte, o poder que ele continua a exercer sobre seus pares, e até mesmo sobre o governo do presidente interino Michel Temer. CONFERE
Nota de rodapé: A força de Cunha tem prazo de validade -Eduardo Cunha terá força na Câmara enquanto Dilma Rousseff não for afastada definitivamente. Até lá, Cunha, dono de bancada própria, continuará a chantagear Michel Temer. A menos, é claro, que seja preso antes disso. Site OAntagon!sta em domingo 22
Porque não “abre”? - Por que o governo Temer não abre os sigilos dos financiamentos que o BNDES deu para Cuba erguer o Porto de Mariel e para o governo de Angola? Em 2012, o então ministro Fernando Pimentel tornou-os secretos até 2027. Lauro Jardim/O Globo domingo 22
Por que só agora? - Responsável pela política econômica que produziu um rombo de 114,9 bilhões de reais em 2015, Dilma Rousseff acusou nesta sexta-feira o governo interino de Temer de "superestimar" o déficit nas contas públicas este ano... Em vez de fazer um mea culpa pela tenebrosa herança fiscal que deixou, Dilma preferiu atacar... e se fazer de vítima: "Agora, para justificar todas as suas políticas, vão começar a dizer que tem um imenso rombo no governo, vão superestimar o rombo... O Congresso não funciona desde o início do ano. Não houve uma única medida aprovada" - Confere na íntegra -, afirmou a debiloide afastada que já teve – atente para o tempo do verbo - nas mãos o poder que 54.5 milhões de votos conferem. Não fosse um caso de apatia patológica, Dilma tinha “poder” suficiente pra desmontar qualquer esquema que quisesse.

A “cabra louca” - “É um recurso que tenho como chefe de Estado, caso na Venezuela ocorram atos golpistas violentos, e não duvidarei em adotá-lo, se necessário, para lutar pela paz e pela segurança do país. Espero que não seja preciso, mas estarei pronto”. Nicolás Maduro justificando a vigência de um estado de exceção que serve para se tornar independente em relação à Assembleia Nacional, à [NA é o órgão que exerce o poder legislativo na Venezuela] - CONFERE
A cobra que ri - Se Lula tiver saúde e estiver no uso e gozo de seus direitos políticos, será candidato a presidente em 2018. A ideia de que se esmagou a cabeça da cobra jararaca é prematura. Essa especulação poderá ser melhor avaliada depois da eleição municipal. Se o PT segurar a prefeitura de São Paulo, a jararaca voltará a sorrir. Por Elio Gaspari, publicado no Globo domingo 22
Comentário de rodapé: É como disse Vargas Llosa em entrevista a revista ÉPOCA: “Minha visão da América Latina não é 100% otimista, porque na América Latina sempre podem ocorrer catástrofes”.

O que é isso, companheiro?

Armado com um violão e um cocar Caetano Veloso aderiu, na noite da sexta [20], ao movimento liderado por artistas que protestam contra a extinção do Ministério da Cultura e a chegada ao poder de Michel Temer. 

A operação - A Procuradoria-Geral da República está toda voltada para o que está sendo considerada internamente como "a operação". O ponto de partida é um grampo em que um delator e uma autoridade conversam. O papo gira em torno de como melar a Lava Jato.
Mais um - Romero Jucá não está sozinho no rol de ministros investigados na Lava Jato. Henrique Alves também já é formalmente investigado em um inquérito e há chance de que o seja e mais dois.
Enquanto isso, em Curitiba, José Dirceu, Gim Argello e o ex-deputado Luiz Argolo dividem a mesma cela. Lauro Jardim/O Globo domingo 22

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Habilidades e outras mumunhas

No seu gênero é um Deus. O gênero é que é uma merdaComentário de um “maestro” sobre um certo “musicista” citado no livro “Número Zero” de Umberto Eco


O “Habilidoso” - Romerinho era um estudante aplicado de estatística no curso de economia da Universidade Católica de Pernambuco em meados dos anos 70. O professor José Jorge decidiu apostar no aluno e o levou para trabalhar com ele na secretaria de Habitação do governo de Moura Cavalcanti, em Pernambuco.
Quando o patrão tornou-se secretário de Educação do governo de Marco Maciel, Romerinho virou seu chefe de gabinete. De Pernambuco para Brasília, foi rápido. No começo dos anos 80, José Jorge elegeu-se deputado federal e Romerinho virou Romero Jucá.
O resto é sabido: Jucá foi presidente da Funai, governador de Roraima nomeado por José Sarney, senador e líder no Senado dos governos de Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.
Habilidoso e onipresente, Jucá foi de Fernando Henrique a Temer – CONFERE LÁ èO título desta reportagem, publicada na Folha, ontem, é “Habilidoso e onipresente, Jucá foi de Fernando Henrique a Temer”. “Habilidoso” é pura meiguice, um afago, da Folha para com o Jucá. Prá mim ele tá mais pra “Oportunista”, que é a técnica adotada para exercer política no Brasil de acordo com as circunstâncias do cenário político da ocasião. José Sarney, que detém o título de MPM - Master in Political Manipulation, pela Universidade Federal de Política do Maranhão (UFPM), é referência nacional. De cada 10 políticos brasileiros, 9 seguem os preceitos desta nobre escola, o restante foi cassado, tá preso ou se encontra foragido.
Enquanto isso: O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a inclusão do ministro do Planejamento, senador licenciado Romero Jucá (RR), e o presidente do Senado, Renan Calheiros, ambos do PMDB, no inquérito que apura um esquema de pagamento de propina na obra da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Trata-se de um caso no âmbito da Operação Lava Jato. CONFERE LÁ

Não vai encolher não Thomas - "O mais difícil para mim é pensar que alguém teve que morrer para eu ter um pênis." A afirmação é de Thomas Manning, 64, que passou por um transplante de pênis no início deste mês após ter o órgão amputado três anos antes por causa de um câncer. A cirurgia foi a terceira do tipo realizada no mundo e a primeira nos Estados Unidos.
"Quando contava para as pessoas (da amputação), elas se encolhiam, não conseguiam acreditar", afirma. Leia na íntegra èA gente fica aqui torcendo pelo Thomas, principalmente para que o “órgão implantado”, não reaja como reagiram as pessoas ao saber do transplante, ou seja, elas se encolhiam. Enviado e comentado por Foca Veiga

Cutucando a onça - O comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, reagiu com irritação à Resolução do Diretório Nacional do PT sobre Conjuntura, aprovada na última terça-feira, em que o partido, em meio críticas à própria atuação e ao governo Dilma Rousseff, incluiu um “mea culpa” por não ter aproveitado seus 13 anos no poder para duas providências em relação às Forças Armadas: modificar o currículo das academias militares e promover oficiais com “compromisso democrático e nacionalista”.
“Com esse tipo de coisa, estão plantando um forte antipetismo no Exército”, disse o comandante ao Estado, considerando que os termos da resolução petista _ e não apenas às Forças Armadas _ “remetem para as décadas de 1960 e de 1970″ e têm um tom “bolivariano”, ou seja, semelhante ao usado pelos regimes de Hugo Chávez e agora de Nicolás Maduro na Venezuela e também por outros países da América do Sul, como Bolívia e Equador. Por Eliane Cantanhêde/EstadãoLeia na íntegra

“As perguntas” que não querem calar

Postado por Thais Herédia em sua conta no twitter ‏@thaisheredia, 
que comentou: São as perguntas que eu mais faço!
Quem inventou o impeachment foi a Dilma, quem deu força para o impeachment foi a Dilma, quem orientou o governo para trabalhar contra o impeachment, que foi criado por ela, foi a Dilma. Se ela tivesse dedicado o empenho que ela dedicou no impeachment para a economia, ela talvez tivesse criado um ambiente econômico melhor que a blindaria. Do contrário, ela desmoralizou o Joaquim Levy quando inventou a CPMF sem conversar com os aliados, e quando tratou, de forma irrelevante, a questão do rebaixamento” Murillo de Aragão, cientista político, em entrevista ao Correio Braziliense na segunda 16 e publicado pelo jornal ontem. Clique aqui e confira trechos da entrevista.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Um rolezinho pelo “mundo do crime”

Entreouvido em Brasília - Dois políticos se cruzam na rua e concordam que precisam se encontrar para conversar, talvez um jantar. Um diz pro outro: Minha tornozeleira eletrônica entra em contato com a sua!Luiz Fernando Verissimo/O Globo em quinta (12)

  
O que tem dado certo - Passados dez anos da série de ataques promovida pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) em São Paulo contra agentes públicos de segurança, o poder da maior facção do Brasil só cresceu. Hoje, a organização já movimenta 40 toneladas de cocaína e arrecada a impressionante quantia de R$ 200 milhões por ano, com atuação em praticamente todas as vertentes do crime.

Mais de 80% dos rendimentos do bando, segundo investigações do Ministério Público Estadual (MPE) às quais o Estado teve acesso com exclusividade, vêm do tráfico de drogas. O restante tem origem em assaltos a bancos, sequestros, tráfico de armas, rifas vendidas à população carcerária e mensalidade de R$ 600 cobrada de cada um dos mais de 10 mil integrantes do PCC – mais de 7 mil estão presos...

A rota internacional de tráfico começava a dar os primeiros sinais de expansão em dois países vizinhos, Bolívia e Paraguai. Agora, em vez de estar sufocada pelo poder estatal, a facção amplia seus tentáculos internacionais. O MPE e a Polícia Federal já têm provas de que o tráfico de drogas, principalmente o de cocaína, atravessou o Atlântico e desembarcou na Europa e na África. O Porto de Santos é o ponto de partida dos carregamentos. Traficantes de Portugal e Holanda, por exemplo, já estão entre os clientes do PCC... - Trecho da reportagem “PCC faz 10 anos” publicada no EstadãoLeia na íntegraEnviado por Cacau Quil
O que vai dando errado - Escreveu Moro na sentença que condenou o Zé a  23 anos e 3 meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e organização criminosa pela participação no esquema de contratos superfaturados da construtora Engevix com a Petrobras: "O mais perturbador, porém, em relação a José Dirceu, consiste no fato de que recebeu propina inclusive enquanto estava sendo julgado pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal a Ação Penal 470, havendo registro de recebimentos pelo menos até 13/11/2013. Nem o julgamento condenatório pela mais Alta Corte do País representou fator inibidor da reiteração criminosa, embora em outro esquema ilícito... agiu, portanto, com culpabilidade extremada". CONFERE
No mais... “O Jornal Nacional teve acesso à íntegra da denúncia de Rodrigo Janot contra Lula, enviada ao STF no início do mês. Nela, o PGR afirma que: [Lula] impediu e/ou embaraçou investigação criminal que envolve organização criminosa, ocupando papel central, determinando e dirigindo a atividade criminosa praticada por Delcídio do Amaral, André Santos Esteves, Edson de Siqueira Ribeiro, Diogo Ferreira Rodrigues, José Carlos Bumlai.". Em resumo, Lula é o chefe da Orcrim, como sempre soubemos. CONFERE

Guerrilha petista - Oito categorias do funcionalismo público federal pressionam o governo Michel Temer a honrar acordos de reajuste salarial assinados com a gestão anterior na noite da última quarta-feira, quando o Senado já decidia o afastamento da presidente Dilma Rousseff. No apagar das luzes do governo petista, servidores de Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), analistas de infraestrutura e peritos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) foram beneficiados na última hora, após negociação que se arrastava há cerca de um ano. CONFERE LÁ

A condenação do dia

“Agora que já foi tudo pro ralo, entrega a turma toda. Conta quem é o chefão, alias, só confirma. Joga tudo no ventilador...”, Comentou a leitora Sonia Vieira no site da revista Época em 18/05/2016

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Em tempos de “Tocha”

O populismo serve para ocultar, para disfarçar as transgressões da lei. Eu acredito que as duas coisas, populismo e corrupção, andam sempre juntasMario Vargas Llosa em entrevista a revista ÉPOCA

  
Cuspindo fogo - O ex-senador Delcídio do Amaral disse em entrevista para o Roda Viva, da TV Cultura, que não pode colocar a mão no fogo pelo presidente interino Michel Temer. Cassado na última terça-feira, 10, o ex-líder do governo no Senado afirmou ainda que a presidente afastada Dilma Rousseff mentiu sobre a Petrobras e chorou ao falar de desabafo da filha nas redes sociais.
No programa que foi ao ar na noite desta segunda-feira, Delcídio foi questionado por jornalistas sobre participação de Temer na Lava-Jato. Em seu acordo de colaboração com a Justiça, o ex-senador afirma que o presidente teve participação direta na nomeação de executivos da Petrobras condenados na Operação.
“Quando disse que ele tinha indicado Zelada (Jorge Zelada, ex-diretor da área Internacional da Petrobras de 2008 a 2012, por indicação do PMDB), senti preocupação enorme numa resposta rápida dele. Quando se indica alguém, não quer dizer que se indica para roubar. Prefiro acreditar que ele tenha endossado a indicação da bancada. Não posso colocar a mão no fogo até porque não conheço as relações dele”, justificou. CONFERE LÁ èDeclaração de um demo-assessor: Nos imbróglios políticos nem mesmo o Demônio mete a mão.
Com fogo na caneta – “O notório Waldir Maranhão não tinha mesmo outra coisa a fazer a não ser retribuir a Dilma Rousseff as gentilezas que ela fez para ele em sua última semana no poder. Nos últimos dias antes de deixar o governo, Dilma liberou um total de R$ 105 milhões em emendas parlamentares de Maranhão. Na verdade, essa dinheirama foi empenhada, não ainda executada. Certamente, os empenhos serão cancelados no governo Temer” POR LAURO JARDIM/O Globo
Em fogo brando - É impressão minha ou a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) anda calada sobre a crise política brasileira? Até o Papa Francisco manifestou preocupação com as coisas por aqui. Com todo o respeito. POR ANCELMO GOIS/O Globo Já nos èDeclaração de um santo-assessor: Nos imbróglios políticos nem mesmo o Senhor mete a mão.

O urubu brigou com o boi e acabou a carniça” - José Eduardo Marzagão deixou o relativo anonimato de que gozava como assessor de imprensa do então senador Delcídio do Amaral, cargo que ocupou desde a CPI dos Correios, para se tornar conhecido nacionalmente quando gravou uma conversa em que o ex-ministro Aloizio Mercadante insinuava que poderia conseguir “meios” de evitar que seu ex-chefe fizesse delação premiada na Lava-Jato. Seu gesto impulsionou e deu elementos à colaboração de Delcídio, complicou a vida de Mercadante, que ainda pode responder a inquérito por tentativa de obstrução de Justiça, mas lhe valeu o emprego: Marzagão foi demitido do Senado pelo presidente Renan Calheiros.
Enquanto procura novo emprego como assessor de imprensa, Marzagão comemorava na noite de segunda-feira, nos bastidores do “Roda Viva”, uma virada profissional: acabara de receber a licença para atuar como motorista do Uber em Brasília. Essas corridas, certamente, serão repletas de histórias da política para contar aos passageiros. CONFERE
No mais: Um dos mais animados e patriotas brasileiros de que se tem notícia, Neguinho da Beija-Flor vai se mudar para a Suíça. “Vou passar uns meses num apartamento alugado em Genebra”, conta. Neguinho já tem uma turnê agendada pela Europa e só volta para o esquenta do carnaval de 2017. “Aqui a coisa tá feia... O urubu brigou com o boi e acabou a carniça” disse Neguinho. Cleo Guimarães/O Globo CONFERE
Nota de rodapé aos patrulheiros do #politicamentecorreto: quem disse “Neguinho” foi a Cleo, nós estamos só repassando.

Um flash “Brasil”

Clique na imagem para ampliar
O que mais preocupa neste flash o “SEGUE VOCÊ”... Xô!

PF faz devassa em prédio do Banco do Brasil - A Polícia Federal comandou nesta terça-feira uma operação no prédio onde funciona a tecnologia do Banco do Brasil, na Asa Norte, em Brasília. O objetivo foi recolher informações que a instituição estava demorando a repassar sobre fraudes no Programa Nacional de Fortalecimento de Agricultura Familiar (Pronaf). Os policiais levaram documentos e fizeram um pente-fino nos computadores. As fraudes no BB foram detectadas no ano passado em agências de Ribeirão Preto e Guará, interior de São Paulo. As irregularidades teriam desviados pelo menos R$ 35 milhões do banco. Leia na íntegra


terça-feira, 17 de maio de 2016

Filosofando

A parte que ignoramos é muito maior que tudo quanto sabemosPlatão

Momento em que um “noble compañero”
 solicita aumento no pixuleco
sobre as “cuota de cigarrillos”
Dentro dos “conformes” e com anuência da “base política” - Dois homens foram presos em Bagé, no Rio Grande do Sul, por venda de cigarros do Paraguai. Segundo a Polícia Federal, eles guardavam a mercadoria irregular na Câmara de Vereadores da cidade, como mostra reportagem do Jornal do Almoço, da RBS TV... Em depoimento à polícia, os suspeitos disseram que faziam a venda de cigarros há pelo menos 10 anos, sempre no mesmo lugar, e que vereadores e até direção da casa, sabiam que eles guardavam as mercadorias no prédio.
"Segundo o que foi dito aos policias, ele tinha autorização para vender os cigarros na frente da Câmara de Vereadores. Anteontem fizemos 11 prisões com 10 flagrantes também por contrabando de cigarros e mesmo assim eles continuaram vendendo", disse o delegado Rafael França. CONFERE
Mas vai melhorar: Piracicaba inicia tombamento do sotaque caipira como patrimônio. O linguajar falado em Piracicaba (SP), no interior do estado de São Paulo, já é conhecido no Brasil afora, pelo "erre" puxado e ênfase nas vogais, traços característicos do sotaque dos moradores da cidade. Mas agora, o dialeto "caipiracicabano" vai ser reconhecido como patrimônio imaterial. O Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural (Codepac) do município abriu, na sexta (13), o processo de tombamento da variedade linguística regional. Confere lá

Escolhas moldam o caráter? - Convencido de que as escolhas éticas do dia a dia moldam o caráter dos cidadãos, o filósofo vê nos escândalos recentes, que provocaram a mu­dança de comando no Brasil uma oportunidade de consolidação da democracia: “Uma das maneiras de se aprofundar a de­mocracia é reduzir o poder corruptor do dinhei­ro em campanhas políticas por meio de leis mais fortes que regem financiamento de cam­panha, algo que não conseguimos fazer nos EUA [...] - declaração de Michael Sandel, professor de Harvard, para o Caldeirão do Hulk que será exibido dia a de julho. Fonte jornal O Globo domingo 15 èFilosoficamente pode até funcionar – aliás, filosoficamente tudo é possível - mas na prática não é bem assim, como afirmou o próprio Sandel: “[foi] algo que não conseguimos fazer nos EUA”. Mas a pergunta que não quer calar é: O que um filósofo, escritor, professor de Harvard vai fazer no Caldeirão? Cartas para o Conselho Federal de Psicologia; SAF SUL, Quadra 2, Edifício Via Office, Brasília/DF – CEP 70070-600

Mas fora das cátedras a coisa tá afrodescendente

Desemprego em alta desafia e pressiona o novo governo de Temer - Presidente em exercício precisará apresentar, rapidamente, medidas para reverter o pessimismo e encorajar a retomada do investimento. Caso contrário, a deterioração do mercado de trabalho tende a se agravar e há risco de manifestações. CONFERE LÁ

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Na roda viva da vida política

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu
A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega o destino pra lá

Trecho de Roda Viva, música de Chico Buarque

  
Não é bolinho não - Em sua última aparição pública, na manhã de quinta-feira, Lula estava abatido. Cabelos desgrenhados, cabisbaixo, olhar vacilante, entristecido. Havia motivos mais que suficientes para justificar o comportamento distante. Afinal, Dilma Rousseff, a sucessora escolhida por ele para dar sequência ao projeto de poder petista, estava sendo apeada do cargo. O fracasso dela era o fracasso dele. Isso certamente fragilizou o ex-presidente, mas não só. Há dois anos, Lula vê sua biografia ser destruída capítulo a capítulo. Seu governo é considerado o mais corrupto da história. Seus amigos mais próximos estão presos. Seus antigos companheiros de sindicato cumprem pena no presídio. Seus filhos são investigados pela polícia. Dilma, sua invenção, perdeu o cargo. O PT, sua maior criação, corre o risco de deixar de existir. E para ele, Lula, o futuro, tudo indica, ainda reserva o pior dos pesadelos. O outrora presidente mais popular da história corre o risco real de também se tornar o primeiro presidente a ser preso por cometer um crime. Por Thiago Bronzatto/Veja - Leia na íntegra è Putz! Nunca antes na história deste País se resumiu tão bem a saga de um líder em queda livre... aos bancos do réu da Lava Jato.
No mais: O comportamento recente de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff oferece pistas para o sentimento prevalecente no PT. Enquanto o atual ex-presidente passou os últimos dias "abalado", "preocupado" e por vezes "deprimido" –na definição de pessoas próximas–, a quase ex-presidente passeava de bicicleta como se não estivesse à beira do abismo. Lula é o passado e o futuro do PT. Dilma Rousseff é o presente, e nada mais. Um é o fundador, o pai, o responsável pelo ápice da legenda. A outra passou pela Presidência como quem fez escala numa carreira burocrática. Não veio da política, e para a política não voltará. Os oito anos de inelegibilidade que acompanharão sua provável cassação certamente doerão, mas na prática pouco significam. CONFERE LÁ
Comentário de rodapé: “Líderes devem guiar enquanto são capazes. Depois, devem desaparecer... Suas cinzas não devem sufocar o fogo que geraram” de H.G. Wells citado por Dorrit Harazim em sua crônica As cinzas do poder, ontem, NO Globo - CONFERE LÁ

Como foi possível chegar a esse estado de coisas? 
A resposta é simples: nós, cidadãos brasileiros, somos os maiores responsáveis pela irresponsabilidade do PT. Sim, inclusive você que nunca votou em Lula ou Dilma.
É preciso constância na fiscalização e cobrança dos governantes, a fim de evitar a ruína.
Em resumo, a política deve entrar no rol das suas preocupações cotidianas, porque quase todas elas são... política!
A calçada esburacada é política; a falta de iluminação pública é política; o rio sujo é política; a mensalidade exorbitante da escola do seu filho é política; os reajustes abusivos dos planos de saúde são política; a falta de emprego é política; a ciclovia que foi tragada por uma onda é política -- até a decadência do futebol é resultado da política. Fôssemos um país bem governado, seriamos ricos o suficiente para manter os bons jogadores por aqui e importar os melhores estrangeiros.
O impeachment de Dilma Rousseff não pode ser apenas uma catarse. Tem de ser um ponto de inflexão no nosso atávico desinteresse pela política.
Política não é o fim, mas o começo.
Por Mario Sabino/O Antagonista, recebido por email na sexta 13 

Foi mal na foto
  
  
Dica pras próximas fotos dos petralhas: "A gente pega uma na bunda da outra que o sorriso sai melhor na foto", ensinava Carolina Ferraz  a Ellen Rocha  e Malu Mader na hora de serem clicadas para uma foto que promove a nova novela da Globo – Apalpe na íntegra
Comentário de rodapé: “O senhor imagina que Dilma possa voltar à Presidência? -Em política, tudo é absolutamente possível até que seja decidido de forma terminativa. Como leitor de tendências há anos, vejo ser muito difícil a reversão do quadro, mas não é impossível - Eliseu Padilha em entrevista ao jornal O Globo domingo 15 – Confira a entrevista èO problema maior, em política, é que acima de qualquer “decisão terminativa” sobrepõem-se o “fator corruptível”, ou como melhor define o Aurélio, "algo suscetível de se corromper".