*Não fosse o amanhã, que dia agitado seria o hoje!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

"Juízes nunca perdem" - Gilmar Mendes

Dilma está animada a dizer que o impeachment (que ela chama de golpe) jogou o país no colo de um presidente denunciado por corrupção.
Dilma só esquece de dizer que a base da denúncia contra Temer é a delação da JBS, que também a implica! Como as da Odebrecht e Mônica.
A questão é que Dilma é petista. Prova válida para os outros é nula para os petistas. Simples assim!
O Antagonista publicou um post, dizendo que somente Deus pode julgar Lula. Faltou o Antagonista explicar que para os petistas Lula é Deus”. Janaina Paschoal pelo Twitter

   
Na mais feroz ofensiva já desfechada contra os métodos do Ministério Público e as delações premiadas que dão vida à Operação Lava Jato, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, destacou a situação do banqueiro André Esteves, do BTG Pactual – alvo de investigação deflagrada contra o ex-senador Delcídio Amaral (ex-PT/MS) em novembro de 2015.
“Abusos por parte da acusação não são infrequentes... Estamos cultivando nossa própria versão e, nesse caso, chamo a atenção do chamado direito penal do inimigo. Delatados são investigados e presos até a própria delação, quando deixam de ser tratados como páreas. O uso da prisão preventiva de maneira a subverter toda a noção que tínhamos de prisão preventiva. Só se solta depois de assinar o termo de delação. Isso é uma subversão de tudo aquilo que essa Corte desenvolveu até hoje.”, afirmou Gilmar, na sessão plenária da Corte máxima nesta quarta-feira, 28, em que estava em pauta os limites da colaboração premiada.
Esteves foi citado como supostamente envolvido na trama pela compra do silêncio do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró (Internacional). Ele teria dado R$ 50 mil. O banqueiro chegou a ser preso por ordem do STF – Leia na íntegra
Mas vai melhorar - A cantora Claudia Leitte anunciou, por meio das redes sociais, que irá tirar o "Leitte" do nome e irá lançar uma nova turnê, só com o nome "Claudia".
"Pessoalll! Eu tô pronta pra subir no salto. E estou tirando o Leitte do meu nome e vou lançar uma nova tour só com Claudia, sem “Leitte”! Não é massa? O que vocês acham? #claudia", postou no Instagram.
O G1 tentou falar com a assessoria do artista, nesta quinta-feira (29), para saber o motivo da decisão, mas não obteve contato – Leia na íntegra

   
Depois de tudo o que aconteceu no TSE, do discurso de Gilmar Mendes à tarde no STF sobre abuso do Ministério Público e Lava-Jato, e ainda quando se diz que a procuradora nomeada para o lugar de Rodrigo Janot é apadrinhada do ministro, o jantar de Michel Temer na casa de Gilmar Mendes, fora da agenda, às vésperas da decisão sobre a substituição na Procuradoria-Geral da República, é muito esquisito. Mostra que se perdeu o pudor, o recato, a noção de tudo. Não estão mais preocupados com nada – por Merval Pereira/O Globo

Estes dois meses e meio serão vitais para Michel Temer, que estará toureando a CCJ e o plenário da Câmara contra a denúncia de corrupção passiva, enquanto o procurador-geral Rodrigo Janot estará aguardando o melhor (ou o pior?) momento para apresentar novas denúncias contra ele.
Antes, Temer tinha pressa e Janot, não. Agora, os dois têm, porque o presidente corre o risco de perder apoios decisivos no Congresso e o procurador vai deixar o cargo em setembro. Com a indicação da sucessora, Raquel Dodge, a opinião pública e a própria da PGR mudam o foco - Eliane Cantanhêde para o EstadãoLeia na íntegra


terça-feira, 27 de junho de 2017

É o desequilíbrio que mantém a vida em movimento

Não importa quão extrema seja uma situação, ela vai mudar.
Não pode perdurar para sempre.
Assim um grande incêndio florestal está destinado a se extinguir; um mar turbulento se tornará mais calmo.
Os acontecimentos naturais equilibram-se, buscando seus opostos, e esse processo de equilíbrio está no âmago de toda cura.
Esse processo leva tempo.
Se o acontecimento não é grave, o equilíbrio exigido é pouco.
Se for um acontecimento de vulto, então, pode levar dias, anos, até mesmo vidas para se recuperar o equilíbrio.
Na verdade, sem esses pequenos desequilíbrios, não haveria nenhuma mudança na vida.
É o desequilíbrio que mantém a vida em movimento.
O centramento total, o equilíbrio total, seria apenas estase”.

Do Livro “Tao - Meditações” de Deng Ming-Dao

O ministro do STF Luiz Fux afirmou nesta sexta-feira, 23, em São Paulo, que a Corte não vai tomar nenhuma decisão sem considerar a governabilidade do País. O magistrado disse ainda que o Supremo "está atento às repercussões econômicas de suas decisões".
Fux participou de palestra sobre o papel moderador do STF no cenário atual brasileiro, sem citar especificamente o inquérito contra o presidente Michel Temer aberto no STF.
"Temos preocupação com a governabilidade. Ainda que uma medida seja legítima, seja constitucional, se levar o País ao caos da governabilidade, temos que levar isso em consideração...”
“Não existe um governo de juízes. Esse protagonismo do Supremo Tribunal Federal decorre exatamente da ausência e da omissão dos Poderes competentes de resolverem determinadas questões...”
“Tenham a absoluta certeza, a mais absoluta certeza, que o Supremo Tribunal Federal vai resgatar a dignidade da nossa nação. Nós vamos levar o Brasil ao porto e não deixaremos que ele vá ao naufrágio... é hora da travessia para superar os problemas do País”, afirmou Fiat Lux, ops, afirmou Luiz Fux – Confere lá

Um grupo de cientistas treinou cães para serem submetidos ao exame de ressonância magnética com a intenção de gerar material científico sobre como o cérebro desses animais funciona.
Após dois anos de estudos, um dos pesquisadores, Gregory Burns, defende: os cachorros são 'gente', como nós. As informações foram divulgadas pelo jornal The New York Times.
A experiência é inovadora porque, até então, a medicina veterinária recomendava que o exame só poderia ser feito em cães anestesiados, uma vez que o animal precisa ficar imóvel na máquina apertada e barulhenta. Animais adormecidos não apresentariam resultados úteis para o tipo de pesquisa que os cientistas estavam desenvolvendo.
Gregory começou por treinar a sua mascote, a cadelinha Callie. Foram meses de ensinamentos para que ela se acostumasse a uma máquina de ressonância magnética de mentira, depois uma de verdade.
Após alguns meses, conseguiram realizar o exame e obtiveram os primeiros mapas de atividade cerebral. – Confere lá
Enquanto isso... A pouco mais de três meses do prazo para fazer mudanças para 2018, as duas Casas do Congresso parecem caminhar para o consenso em, pelo menos, um ponto: a criação de um fundo eleitoral. Na Câmara, o relator da reforma política, deputado Vicente Cândido (PT-SP), propõe fundo com recursos públicos para o ano que vem de R$ 3,5 bilhões, e R$ 2,2 bilhões, em 2020. Já no Senado, o líder do governo Romero Jucá (PMDB-RR) deve apresentar nesta terça-feira, 27, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com fundo de R$ 3,5 bilhões.
Segundo senadores da oposição consultados pelo Estado, embora ainda haja discordâncias em relação à divisão do fundo, estimado emR$ 3,5 bilhões, há consenso sobre a necessidade de se aprovar uma nova fórmula para financiar as candidaturas. Pelas regras atuais, apenas doações de pessoas físicas são permitidas nas eleições – Leia mais


O projeto de lei do Senado dos EUA para revogar e substituir o Obamacare (a lei de saúde acessível, criada pelo governo Barack Obama) poderá deixar 22 milhões sem cobertura até 2026, de acordo com uma estimativa divulgada pelo Comitê de Orçamento do Congresso.
Mais de 15 milhões deixariam de ter cobertura já no ano que vem, uma vez que o projeto derruba a atual obrigatoriedade de todo americano contratar um plano de saúde. A eliminação de subsídios, também prevista pelo texto, levaria a um progressivo aumento desse número nos anos subsequentes – Leia na íntegra

O ineditismo de uma denúncia contra um presidente acusado de crimes comuns tem causado dúvidas sobre os ritos a serem seguidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Relator do caso na corte, o ministro Edson Fachin deverá publicar um despacho com os procedimentos que irá adotar.
A Constituição prevê que a Procuradoria-Geral da República ofereça a denúncia ao STF, que precisa enviá-la à Câmara.
Somente com autorização prévia de dois terços dos deputados (342 parlamentares) a denúncia volta ao STF para que o plenário julgue o seu recebimento. Se for aceita, o presidente torna-se réu e é afastado por 180 dias.
A principal dúvida no caso de Michel Temer é em qual momento deve-se abrir prazo para a primeira manifestação da defesa. Em geral, em ações penais que não envolvem o presidente, o Supremo abre prazo para o acusado apresentar uma defesa prévia.
No caso de Temer, Fachin tem de decidir se dá prazo para manifestação da defesa antes de enviá-la à Câmara ou depois. A Constituição não deixa claro o que deve ser feito.
A questão é importante porque, se Temer não precisar apresentar sua defesa ao Supremo agora e os deputados decidirem barrar a continuidade do processo, ele ficará sem responder tecnicamente as acusações.
O STF é o responsável por fazer o juízo técnico e jurídico do caso, enquanto o juízo da Câmara é político -  Leia na íntegra.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Anote aí: O Estado existe para servir o indivíduo

Ponha-se na presidência qualquer medíocre, louco ou semianalfabeto, e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará à sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, e de que tudo o que faz está certo. Em pouco tempo transforma-se um ignorante em um sábio, um louco em um gênio equilibrado, um primário em um estadista. E um homem nessa posição, empunhando as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso.” General Olímpio Mourão Filho que participou ativamente do movimento integralista e do Golpe de Estado no Brasil em 1964

A economia vai sobreviver à crise política?
-Estamos fazendo um esforço enorme para que haja uma separação, uma manutenção do nível de confiança. Vivemos uma crise fiscal, que é mais complicada, demora mais tempo para ser resolvida. A inflação você entra, dá um corte, e os problemas são solucionados muito rapidamente. Uma crise fiscal é um hábito de gastos do governo que traz questões políticas muito mais complicadas.
Que questões são essas?
-As pessoas gostam de gastar. Acham que o dinheiro do governo é infinito. Mas o governo não produz riqueza. Ele vive da riqueza produzida pelo cidadão. A solução dessa questão econômica é vital para o futuro do país. - Essas pérolas e tantas outras são trechos da entrevista de Moreira Franco ao Correio Braziliense no domingo 25leia na íntegra.
-A afirmação “o governo não produz riqueza. Ele vive da riqueza produzida pelo cidadão” deveria ser um mantra cantado sempre antes da abertura dos trabalhos no Congresso brasileiro pra lembrar a estes caras que o Estado existe para servir o indivíduo e a sociedade e que eles, os nobres deputados e senadores, são pagos - e muito bem pagos - pra fazer este serviço. Aliás, esta frase deveria estar impressa na bandeira nacional ao lado da “Ordem e Progresso”.

Empresário pode trabalhar sem pagar propina? – Aqui, dois líderes empresariais contestam Joesley Batista (foto), o comprador de boi e de políticos (não necessariamente nesta ordem) que disse à “Época” que “empresários obrigados a lidar com agentes públicos no Brasil têm de pagar para conseguir trabalhar”.
Eduardo Eugênio, presidente da Firjan, diz ser inacreditável, além de imoral, alguém pensar assim. “Isso é coisa de quem não gosta de concorrência. Faz uma opção pela lei do menor esforço, quer ganhar dinheiro fugindo da competição”.
Ângela Costa, presidente da Associação Comercial, também rechaça a ideia. “Ninguém pode negar que, muitas vezes, agentes públicos (não todos, claro) impõem dificuldades às empresas, na expectativa de venderem ‘facilidades’”. Ainda assim, segundo ela, a maioria das empresas resiste: “Talvez seja mais difícil resistir para aqueles que são dominados só pela ambição pelo dinheiro”.
Em tempo: Ângela é a primeira mulher a presidir essa associação patronal, fundada em 1834. Mas aí é outra história - Ancelmo Góis/jornal O Globo
Aliás e a despropósito: O Conar recebeu denúncias contra as propagandas da operadora de turismo CVC. Elas tinham como título “CVC Brasil: Eu não preciso de um psicólogo. Só de uma boa viagem”, e “Você não precisa de terapia... apenas de uma boa viagem”. De acordo com as queixas, as mensagens “discriminam e desvalorizam” psicólogos e terapeutas. A CVC desculpou-se e retirou os anúncios da internet, mas nem seria preciso. O Conar não viu nada de ofensivo e arquivou todas as denúncias - Cleo Guimaraes/Blog Gente Boa/jornal O Globo
-É como reza a lenda: Quem não tem competência não se estabeleça... e ponto final. 

   
No ano passado, enquanto UPAs, escolas técnicas, universidades, hospitais e até batalhões da PM funcionavam com dificuldades, o Ministério Público decidiu comprar “notebooks diferenciados para trabalhos gráficos” por R$ 107 mil. Eram computadores da Apple novinhos em folha, além de estojos e equipamentos. Aliás, quando o assunto é tecnologia, o Tribunal de Justiça não fica atrás: pagou R$ 17,5 mil por 12 fones de ouvido — ou seja, salgados R$ 1.458 por cada aparelho. [...].
Um levantamento feito pelo gabinete do deputado Eliomar Coelho (PSOL), a pedido do GLOBO, mostra que, enquanto o Executivo era forçado a reduzir despesas, algumas instituições que recebem repasses do estado aumentavam o custeio e os investimentos. Entre 2014 e 2016, o Tribunal de Justiça, a Assembleia Legislativa, o TCE, o Ministério Público e a Defensoria Pública aumentaram em R$ 1,3 bilhão as despesas nos cofres fluminenses. [...].
O levantamento feito pelo gabinete do deputado Eliomar Coelho mostra exemplos de excesso de gastos. O TCE, por exemplo, que deveria zelar pela austeridade do estado, teve uma explosão de despesas com combustíveis, diárias de viagens, alimentação e limpeza. Entre 2014 e 2016, aumentaram 301%, passando de R$ 58,6 milhões para R$ 235,5 milhões... Desde o ano passado, é possível identificar extravagâncias em contratos disponíveis no site do TCE. Em 2016, o tribunal decidiu reformar seu auditório, a um custo de R$ 1,3 milhão. Também gastou R$ 53 mil na produção de filmes institucionais educativos que explicam suas atribuições - Leia na íntegra

   
Sempre que ligo a tevê no noticiário político, o PSDB está deixando o governo ou decidindo ficar com ele. O partido não conhece aquela teoria da dissonância cognitiva. Ela afirma que, uma vez feita uma escolha, a tendência é reforçá-la com racionalizações.
Se escolhemos rosas brancas no lugar das amarelas, tendemos a ressaltar a beleza das brancas e a enfatizar os defeitos das amarelas.
O PSDB ou está saindo ou ficando. Se decide ficar, faz precisamente o contrário do que acontece na dissonância cognitiva: começa a refletir sobre as vantagens de sair.
No momento em que toma a decisão do desembarque, certamente vai falar muito das vantagens de ficar no governo. Enfim, parece ter uma permanente incapacidade de tomar decisões e seguir com elas - Trecho do artigo “O futuro dos predadores” de Fernando Gabeira/O Globo – Leia na íntegra
-Que me perdoe a taldissonância cognitiva”, mas nas reuniões do Clube dos Vigaristas Internacionais essa tática é mais conhecida como “The syndrome of sit on the fence“ motivada pela pouca-vergonha; descaramento; impudência e cinismo... e não necessária,ente nesta ordem.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

A culpa é do camelo



Em teoria, se algum livro sagrado descrevesse equivocadamente a realidade, seus discípulos cedo ou tarde descobririam, e a autoridade do texto estaria comprometida. Abraham Lincoln disse que não se pode enganar todo mundo o tempo todo. Bem, isso é uma ilusão. Na prática, o poder das redes de cooperação humana depende de um equilíbrio delicado entre a verdade e a ficção. Se você distorce demasiadamente a realidade, isso vai enfraquece-lo, e você não será capaz de competir com rivais que tenham uma visão mais clara. Por outro lado, você não vai conseguir organizar massas de pessoas sem se apoiar efetivamente em alguns mitos ficcionais. Se ficar agarrado à realidade pura, sem misturar nela alguma ficção, poucos o seguirão“- Textos de Yuval Harari no livro Homo Deus

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, afirmou a representantes do Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe), na tarde desta quinta-feira, 22, que não sabe se vai conseguir terminar o seu mandato, até o fim de 2018. De acordo com representantes do Muspe, a declaração foi feita durante uma reunião onde os servidores reivindicaram o pagamento de salários atrasados, progressão de carreira e convocação de concursos. "Nem eu sei se fico no cargo até 2018", afirmou o governador, de acordo uma das lideranças do Muspe, Ramon Carrera – Leia na íntegra
Enquanto isso: O presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani, enviou um e-mail nesta quinta-feira ao líder do governo na Assembleia, Edson Albertassi (PMDB), criticando duramente o governador Luiz Fernando Pezão. Na mensagem, ele fala até em votação para o impeachment do governador. Em entrevista ao programa CBN Rio, da Rádio CBN, Picciani afirmou que, se o acordo de recuperação fiscal não for homologado, o Rio só tem duas alternativas: intervenção federal ou impeachment do governador.
-Ele é incompetente, não sabe fazer as coisas e vai agravar a crise. A solução que existe é a intervenção ou o impeachment. Se a intervenção nós não tivermos possibilidade de fazê-lo, o que nos resta é analisar com mais carinho, com mais vigor, já que nós temos novos elementos, com o parecer do TCE, que induz examinar pelo crime de responsabilidade. [O impeachment] é a decorrência natural, eu acho – Confere lá

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral apresentou sua defesa prévia no processo da Operação Fatura Exposta. Ao final do documento, seus advogados listam as cinco testemunhas que gostariam que fossem ouvidas “por serem imprescindíveis ao exercício da ampla defesa”.
Entre elas está arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, e o reverendo Isaías Maciel, da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil.
A assessoria de imprensa informou que D. Orani ficou sabendo do fato pela imprensa e não recebeu nenhuma intimação, assim como o reverendo – Leia mais
E agora Tempesta? Só o papa pode lhe tira desta fria. Aliás por falar em papa:
O papa Francisco disse nesta quarta-feira, 21, no Vaticano, que se deve viver o amor matrimonial "para sempre ou nada" e não "até que dure", pois nestes últimos casos, afirmou, é melhor não se casar.
O pontífice se referiu na audiência geral desta quarta na Praça de São Pedro à "viagem da vida conjugal" para destacar que "quem ama de verdade tem o desejo e a coragem de dizer 'para sempre'".
"(É preciso) viver o amor matrimonial para sempre. Alguns dizem 'até que dure o amor'. Não, para sempre, do contrário é melhor que não se case. Ou para sempre ou nada", destacou - Confere lá
-Por esses a e outras é que se faz necessário abolir o celibato da Santa Madre Igreja, né não?  

Na foto um camelo disfarçado de alce pra fugir da extradição Árabe
   
Com o aprofundamento da crise diplomática entre Qatar e seus vizinhos do Golfo, até mesmo símbolos da cultura árabe são alvos do rompimento das relações com o governo de Doha.
Em nova retaliação, a Arábia Saudita, que liderou o processo de ruptura, anunciou que expulsou 9 mil camelos de origem qatari em 36 horas. Segundo a agência Ansa, como consequência, muitos dos animais se perderam pelo caminho e acabaram morrendo ou ficando feridos.
Um representante da Associação de Proprietários de Camelos do Qatar criticou a medida tomada pelas autoridades sauditas. Os animais eram mantidos em regiões vastas do território saudita, e contribuíam para a produção de leite e carne, além de servir como meio de locomoção.
-Nunca vamos nos esquecer do que eles fizeram — afirmou Mohammad Merri à rede Al-Jazeera – Leia na íntegra
-Por aqui - principalmente na esfera política - quando a coisa tá preta, ops, quando o bicho tá pegando, é costume dizer que “Nem vaca está reconhecendo bezerro”. Lá pelas terras árabes, quando o bicho tá pegando, a culpa é, literalmente, do camelo.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Uma república democrática chamada Brasil... mas será mesmo?

Diferentemente das demais colaborações, os colaboradores entregaram altas autoridades públicas cometendo crimes em curso. Tanto é que alguns deles foram pilhados em ação controlada. Como se pode recusar um acordo quando se tem conhecimento de crime em curso por altas autoridades públicas, porque a premiação seria alta, média ou baixa? Os fatos trazidos com o indicativo de prova envolvem nada mais nada menos, e aqui digo em tese, os três últimos presidente da República. Os fatos trazidos têm indícios de provas de que o dinheiro que irrigou os ilícitos, que pagou a propina é dinheiro público. Não é dinheiro privado. Veio de onde? De contratos com serviços públicos, Petrobras, FI-FGTS, BNDES e tantos outros que se entrelaçam nos fatos em apuraçãoRodrigo Janot, sobre o acordo de delação da JBS

   
Em meio à crise aberta com a decisão do prefeito Marcelo Crivella de cortar à metade a ajuda financeira para as escolas de samba, a Riotur está finalizando um projeto de lei que cria a taxa de turismo municipal. O valor em estudo é de R$ 9 por diária na rede hoteleira. Segundo o presidente do órgão, Marcelo Alves, o montante arrecadado será integralmente usado em publicidade e serviços para incrementar o turismo na cidade. O projeto será enviado para a Câmara.
-Essa ideia desenhada por nós e pelo Conselho de Turismo é para que a Riotur não dependa só do orçamento da prefeitura. São caminhos para que a gente possa investir, divulgar a cidade e melhorar serviços para o turismo. É para levar a imagem do Rio para o Brasil e o mundo. Não se pode viver só do orçamento oficial — defendeu Marcelo Alves – Leia na íntegra
-Claro queNão se pode viver só do orçamento oficial”, porque depois de fatiarem o “orçamento oficial”, para atender os interesses meramente políticos, não sobra nada para os interesses do cidadão.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, nesta quarta-feira, 21, a proposta de emenda à Constituição (PEC) que cria a possibilidade de revogação, por parte dos próprios eleitores, do mandato de presidente da República. A proposta ficou conhecida como "recall". O projeto segue agora para o plenário do Senado, onde terá de ser analisado em dois turnos.
De acordo com o texto, o presidente da República poderá ter seu mandato revogado a partir de proposta assinada por, no mínimo, 10% dos eleitores que compareceram à última eleição presidencial. A apresentação do pedido de recall será permitida apenas no segundo e no terceiro anos do mandato.
Em seguida, o Congresso convocaria um referendo popular para revogar o mandato do presidente. Se a população decidir pela revogação, o cargo será declarado vago, mas não serão necessariamente realizadas novas eleições – Leia na íntegra
Nota de rodapé: “O recall tem origem na legislação dos Estados Unidos. Foi introduzido em 1903 na Carta de Los Angeles por Theodore Roosevel, fazendo parte do programa do “movimento progressivo”... mas “é possível, encontrar, em outros sistemas, e com inúmeras oscilações terminológicas, sua previsão. Assim em algumas províncias da Argentina, que o chamam de “destituição”, com nas antigas Constituições das Repúblicas Socialistas Soviéticas, que o nominavam de “revogação”. Na América Latina, o recall é previsto na Constituição da República Bolivariana da Venezuela sob o nome de “referendo revocatório”, abrangendo todos os cargos eletivos” - fonte wikipedia
-Copiando o mestre Ancelmo Gois: “É, pode ser!”. 
Como se vê na “Nota de Rodapé”, acima, o “recall” depende muito da relação de "poder" entre povo e governo. Aqui no Brasil, antes de instituir tal procedimento, para aplicá-lo ao “mandato de presidente da República”, seria necessário primeiro fazer um recall do Legislativo e do Judiciário, senão vai funcionar como uma Venezuela ou seja, não vai servir pra nada.

  
O rei Salman da Arábia Saudita nomeou por decreto nesta quarta-feira seu filho Mohamed como novo príncipe herdeiro, em substituição a seu primo Mohamed bin Nayef, que foi destituído. Novo homem forte do reino, o jovem Mohamed bin Salman, de 31 anos, confirma assim a meteórica ascensão desde que foi nomeado ministro da Defesa e depois vice-príncipe herdeiro pelo pai, que assumiu o trono no início de 2015, após a morte do meio-irmão Abdullah.
Ao nomear o filho Mohamed como príncipe herdeiro, o rei abre o caminho ao trono para a segunda geração da dinastia Al Saud. Segundo o decreto real publicado pela agência oficial SPA, Mohamed bin Salman foi nomeado ainda vice-premier e manteve o cargo de ministro da Defesa - Confere lá
-Esse tipo de governo - a Arábia Saudita é uma Monarquia Absoluta - é tudo que os Sarneys”no Maranhão, os “Neves” em Minas Gerais, os “Mellos” e os “Calheiros” em Alagoas, os “Magalhães” na Bahia e os Gomes no Ceará sonham um dia viver. “No Brasil? Impossível isso acontecer” reagiria o açodado cidadão cônscio da plenitude de nossa república democrática... mas será mesmo?

quarta-feira, 21 de junho de 2017

“A Operação Lava-Jato é um marco no processo civilizatório do Brasil”

O Ministro Gilmar Mendes, mais uma vez, se vale da imprensa para tecer críticas a decisões judiciais, o que faz em frontal violação ao art. 36 da Lei Orgânica da Magistratura, que proíbe a membros do Judiciário manifestarem, por qualquer meio de comunicação, juízo depreciativo sobre despachos, votos ou sentenças.
Ao chamar de abusivas investigações e prisões processuais que foram decretadas pelo Poder Judiciário, inclusive pelo Supremo Tribunal Federal, a requerimento do Ministério Púbico, Gilmar Mendes abandona a toga e assume a postura de comentarista político, função absolutamente incompatível para quem integra o Supremo Tribunal Federal.
Magistrados ou membros do Ministério Público, ao exercerem suas funções constitucionais, simplesmente estão aplicando as leis aos casos que lhe são submetidos, podendo suas decisões ou denúncias serem revistas ou questionadas dentro do devido processo legal.
O que não é admitido e não pode ser tolerado é que um magistrado, qualquer que seja ele, se valha do cargo e do poder que titulariza para ser porta-voz de interesses que, em última análise, buscam, a qualquer custo, barrar os avanços das investigações e punições a todos aqueles que nas últimas décadas sangraram os cofres públicos do País.
A Operação Lava-Jato é um marco no processo civilizatório do Brasil e por isso qualquer tentativa de obstrução contra ela não será permitida pelo conjunto dos cidadãos brasileiros”- Nota pública da Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE) sobre as ultimas declarações de Gilmar Mendes

Dória, ops! – Maria Antonieta imortalizada... em tela
   
O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), vai reduzir o repasse da Prefeitura para o carnaval da cidade no ano que vem. Sem adiantar valores, Doria afirmou que cortará recursos dos desfiles das escolas de samba e do carnaval de rua. Entretanto, ele afirma que o valor total da folia não sofrerá redução, pois espera obter recursos da iniciativa privada para cobrir o montante que a Prefeitura deixar de investir.
Doria fez o anúncio ao lado do prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), que esteve nesta terça-feira, 20, em São Paulo para a reunião da Frente Nacional de Prefeitos. Crivella também havia anunciado corte na verba do carnaval carioca para 2018. Cada agremiação receberá R$ 1 milhão, metade do liberado neste ano.
“Não podemos gastar mais do que aquilo que se arrecada. Não podemos ter uma atitude irresponsável fiscalmente para atender este ou aquele setor”, afirmou o prefeito de São Paulo – Leia na íntegra
-O pão já anda escasso, mas ainda resta o circo. Assim como a rainha Maria Antonieta que, supostamente, ao saber que os camponeses não tinham pão teria dito: "Que eles comam brioche" só falta, aos governadores em questão, sugerir: “Porque em vez de carnaval eles não se divertem nos teatros?” É bom lembrar que tempos depois a rainha, condenada por traição, foi guilhotinada... mas aí é assunto pra outra prosa.

A explosão de um artefato na estação de trem de Bruxelas nesta terça-feira está sendo considerada um ataque terrorista, afirmou um porta-voz da Procuradoria federal belga.
A polícia neutralizou uma pessoa nesta terça-feira enquanto estava patrulhando a Estação Central de Trem de Bruxelas após a pequena explosão, afirmou um porta-voz da corporação. O autor do ataque foi morto.
“É considerado um ataque terrorista... Não posso confirmar se o autor está vivo ou morto”, disse o porta-voz em entrevista coletiva diante da Estação Central.
A estação, uma das três principais da cidade, foi esvaziada nesta terça-feira e as forças de segurança garantiram que a situação está sob controle e que não há vítimas – Leia na íntegra
No mais: Um tiroteio deixou uma criança e duas jovens feridas na manhã desta terça-feira no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio. O serviço BRT Transcarioca foi interrompido por volta das 10h entre as estações Vicente de Carvalho e o terminal Fundão, informou o Consórcio BRT. Segundo nota, a medida foi para "garantir a segurança dos passageiros e dos funcionários".
O serviço ficou interrompido por quase uma hora, entre 10h08 e 10h56 e, por segurança, voltou a parar às 11h15m. Por volta das 15h30m o serviço começou a ser normalizado, gradativamente, segundo o site do Consórcio BRT.
A onda de violência atingiu também quem passava pela Avenida Brás de Pina, nas proximidades do conjunto de favelas. Passageiros de um ônibus do BRT entraram em pânico. O veículo deixou o local escoltado por um carro da polícia. Automóveis voltaram na contramão.
“Estava indo para o trabalho. De repente, a gente ficou nessa situação. Foram uns quarenta minutos. Todos abaixados no chão do ônibus. Horrível, horrível, horrível. Está impossível viver no Rio de Janeiro”, disse um agente de vendas que estava no coletivo – Leia na íntegra
   
Charge do Amarildo/coluna do Noblat/O Globo
   
O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal, rejeitou a queixa-crime do presidente Michel Temer contra Joesley Batista. Temer queria processar o empresário por crimes de calúnia, injúria e difamação.
Para o juiz, não há crime no fato de Joesley ter dado entrevista à revista Época e fazer acusações ao presidente, tendo em vista que as afirmações fazem parte de acordo de delação premiada – CONFERE LÁ

terça-feira, 20 de junho de 2017

A Orcrim

Confesso que ao ouvir pela primeira vez a expressão 'Orcrim',criada por Marco Antonio Villa, encarei a coisa com reservas.Organização Criminosa' me parecia na época, meio exagerado. Hoje, ao ler na Época a descrição minuciosa feita pelo delator Joesley, sinto abismado que a expressão ficou pequena” - Marco Angeli artista plástico/designer

Arte de Marco Angeli
Dados da PF revelam prejuízo causado em 4 anos por grupos investigados em 2.056 operações; quase metade do valor está ligado a fraudes nos fundos de pensão
Em quatro anos, a Polícia Federal deflagrou 2.056 operações contra organizações criminosas que provocaram prejuízos estimados em R$ 123 bilhões ao País. Os números revelam que o maior rombo não é o apurado pela Lava Jato, mas o causado pelas fraudes nos fundos de pensão investigadas na Operação Greenfield, que alcançam R$ 53,8 bilhões ou quatro vezes o valor de R$ 13,8 bilhões desviados pelo esquema que agiu na Petrobrás.
Esse quadro é o resultado da conta feita pelos investigadores federais com base em valores de contratos fraudulentos, impostos sonegados, crimes financeiros e cibernéticos, verbas públicas desviadas e até mesmo danos ambientais causados por empresas, madeireiras e garimpos. Tudo misturado ao pagamento de propina a agentes públicos e políticos.
Segundo especialistas em máfias e grupos criminosos, a análise dos números mostra a mudança do perfil do trabalho da PF, priorizando a investigação patrimonial das organizações. “Há uma tendência das investigações em se preocupar mais com os aspectos patrimoniais do que acontecia há 5 anos, quando se pensava só em autoria e materialidade”, afirmou o procurador da República Andrey Borges de Mendonça – Leia na íntegra
Mas isso vai mudar... Vaticano está estudando uma medida para excomungar todos os mafiosos e corruptos, quaisquer que sejam seus países de origem, informou neste domingo (18) a imprensa italiana.
Um grupo de 50 pessoas de vários países - altos prelados, magistrados, diplomatas e chefes de polícia - se reuniu no Vaticano para participar no "Debate Internacional sobre a Corrupção".
O jornal La Repubblica afirma que se trata de "uma mudança histórica", já que coloca no mesmo plano corruptos e mafiosos, recordando que a excomunhão é a pena mais severa da pela Igreja católica contra seus membros... Mas as relações entre a Igreja e o crime organizado são ambíguas: mafiosos promovem procissões e influência sobre prelados, fazem malversação de obra de caridade e compram imóveis do Vaticano, por exemplo – Leia na íntegra

Abracadabra!... e jorra grana Rio abaixo - O novo programa que o presidente Michel Temer pretende lançar assim que voltar da viagem à Rússia, Avançar, que vai substituir o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), contempla o Rio com a liberação de R$ 5,91 bilhões do orçamento da União para retomada de obras públicas em diversas áreas. Cerca de um terço deste valor, o equivalente a R$ 2 bilhões serão desembolsados até dezembro de 2018, quando termina o atual governo.
O novo programa faz parte da agenda positiva do governo em meio à crise política e integra um rol de medidas em estudo pelo Planalto, como o reajuste da tabela do Imposto de Renda ou a correção dos benefícios pagos no Bolsa Família.
Do total destinado pelo Avançar ao Estado do Rio, R$ 1 bilhão vai para o programa Minha Casa Minha Vida e R$ 563 milhões para obras no setor de transporte. As áreas de saúde, educação e cultura também serão beneficiadas. Ao todo, serão atendidos 357 projetos no Rio. Em boa parte deles, no entanto, Temer vai inaugurar apenas uma etapa – CONFERE LÁ

   
Agora o bicho pega - O prefeito Marcelo Crivella disse, nesta segunda-feira (19), que não vai voltar atrás na decisão de cortar verba das escolas de samba para o carnaval de 2018. A afirmação foi feita durante a inauguração do mural de 2500 metros quadrados da Escola Rivadavia Corrêa , no Centro. O mural
"Acho que vou criar o bloco 'é conversando que a gente se entende'. Estamos enfrentando uma crise e as crianças e as creches são prioridades. Temos de reavaliar e corrigir os custos do ano passado, quando houve um aumento do subsídio num momento de euforia", afirmou Crivella.
O prefeito também comparou a discussão sobre o carnaval com as cólicas de um parto. "Cólicas não são pra desanimar. As cólicas de uma mulher que vai dar à luz são redentoras", disse o prefeito que espera que “da discussão nasça uma solução para o problema". À tarde, representantes da Liesa vão se reunir com o presidente da Riotur, Marcelo Alves – CONFERE LÁ

Para poder montar uma revolução, números nunca são suficientes. Revoluções comumente são feitas por pequenas redes de agitadores, e não pelas massas. Se você quiser desencadear uma revolução não se pergunte: “Quantas pessoas apoiam minha ideia?”. A pergunta correta a fazer é: “Entre os que me apoiam, quantos São capazes de prestar uma colaboração eficaz?”. A Revolução Russa eclodiu não quando 180 milhões de camponeses se ergueram contra o tsar, e sim quando um punhado de comunistas se pôs no lugar certo na hora certa” - Textos de Yuval Harari no livro Homo Deus

segunda-feira, 19 de junho de 2017

“Governar o Brasil não é difícil nem impossível, é inútil”

Benito Mussolini terminou seus dias na face da Terra numa posição incômoda: pendurado de cabeça para baixo num gancho de açougue. Um fim de vida coerente com uma de suas frases mais famosas: "Governar a Itália não é difícil, é impossível". Menos trágicos, os presidentes do Brasil, mesmo sem o fim lastimável do ditador italiano, poderiam dizer: governar o Brasil não é difícil nem impossível, é inútil" Carlos Heitor Cony para a Folha de São Paulo

   
Já não há mais possibilidade de um debate racional sobre a situação do país. Quando jornalistas são constrangidos dentro de aviões por militantes políticos que querem calá-los, como aconteceu com Míriam Leitão e Alexandre Garcia, um após o outro, para demolir as tentativas de desmentido orquestrado.
Quando procuram explicações conspiratórias para a denúncia jornalística de uma gravação do diálogo entre o presidente da República e um empresário, onde diversos crimes são descritos e abordados, é que a surdez deliberada de setores políticos e empresariais, por razões que vão da manutenção do poder ao interesse financeiro, domina o quadro político da mesma maneira que aconteceu quando o ex-presidente Lula ou a ex-presidente Dilma foram denunciados por crimes variados.
Cada grupo político vê os acontecimentos da maneira que lhe convém, e o debate vai para o brejo. Agora disputa-se qual é a maior quadrilha em ação nesse país abandonado por Deus, que, diziam, era brasileiro. Só que não. O PT e o PMDB são acusados de terem organizado quadrilhas para manipular o governo, e existem fatos que demonstram que aos dois cabe o epíteto - Trecho da crônica “Um país perdido” de Merval Pereira/O Globo - Leia na íntegra
Mas o povo foi pra rua... 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo acontece neste domingo (18) em São Paulo com previsão de reunir 3 milhões de pessoas. No total, 19 trios elétricos desfilam em trajeto que começou na Avenida Paulista e descerá a Rua da Consolação, chegando ao Vale do Anhangabaú.
Às 11h, a Avenida Paulista já estava tomada de participantes, vários com fantasias especiais para o evento. A via também estava decorada, e as cores lembrando um arco-íris estavam presentes em faxias de pedestres, em balões de gás e no Conjunto Nacional, prédio que é um dos símbolos da avenida – Leia na íntegra

Caso a crise se agrave mais e obrigue o presidente Michel Temer a acatar a sugestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de propor ao Congresso emenda constitucional que antecipe as eleições gerais, o País passará pela quarta ruptura institucional desde 1964. [...].
Para Fernando Henrique, a antecipação das eleições gerais revelaria um “gesto de grandeza” de Temer, expressão usada por ele em carta ao jornal O Globo, na qual fez a sugestão.
Caso aceite a sugestão, Temer teria de convencer o Congresso, também parte interessada, e muito interessada, a aprovar a emenda constitucional que abreviaria seu mandato e o dos que estão na Câmara, Senado, governos estaduais e assembleias legislativas.
Supondo-se que Temer e o Congresso concordem com o que disse o ex-presidente, logo alguém se dará conta de que o Brasil de hoje carece de lideranças políticas. Boa parte das que se encontram em atividade está ferida pela Operação Lava Jato e outras similares. O próprio presidente está na iminência de ser denunciado pela Procuradoria-Geral da República. Onde estão os que poderiam assumir a frente das negociações? Quem souber de um, que aponte o dedo – CONFERE LÁ
Em entrevista à Época, Joesley disse que queria mostrar aos Procuradores que, depois de 3 anos de Lavajato, tudo continua igual.
Vejo, com tristeza, brasileiros escolhendo delações válidas, ou trechos válidos. Uma atitude irracional de tentar salvar seus ídolos.
Quando vejo os brasileiros se engalfinhando para defender nossos detratores, fico pensando se seria inocência ou burrice.
Gente, estamos falando de crimes dos quais nós somos vítimas! É preciso parar de tentar salvar grupos que precisam ser desarticulados! - Janaina Paschoal pelo Twitter

É possível que o Rio não tenha vivido um período de tão baixo astral desde 1711, quando a cidade foi saqueada e sequestrada pelo corsário francês Duguay-Trouin. Cabral está na cadeia, Pezão vive a ruína que ajudou a criar e abundam os bodes.
Para que se entenda melhor a raiz dos problemas da cidade, vale a pena transcrever um pedaço da entrevista que o prefeito Marcelo Crivella deu ao repórter Luiz Ernesto Magalhães:
“O Rio tem hoje cerca de 1,9 milhão de imóveis. Desses, 1,1 milhão não pagam IPTU. Em qual cidade do mundo isso acontece? Em média, as pessoas vão passar a contribuir com R$ 1 por dia. Mas há extremos a serem revistos. Há apartamentos na Avenida Vieira Souto (Ipanema) que valem R$ 9 milhões e pagam R$ 6 mil de imposto.” Elio Gaspari/O Globo

sábado, 17 de junho de 2017

Nitroglicerina pura!

Capa da edição de ÉPOCA desta semana
   
Na manhã da quinta-feira (15), o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, recebeu ÉPOCA para conceder sua primeira entrevista exclusiva desde que fechou a mais pesada delação dos três anos de Lava Jato. Em mais de quatro horas de conversa, precedidas de semanas de intensa negociação, Joesley explicou minuciosamente, sempre fazendo referência aos documentos entregues à Procuradoria-Geral da República, como se tornou o maior comprador de políticos do Brasil – Abaixo o blog transcreveu trechos dessa entrevista:

Qual, afinal, a natureza da relação do senhor com o presidente Temer?
-Nunca foi uma relação de amizade. Sempre foi uma relação institucional, de um empresário que precisava resolver problemas e via nele a condição de resolver problemas. Acho que ele me via como um empresário que poderia financiar as campanhas dele – e fazer esquemas que renderiam propina. Toda a vida tive total acesso a ele. Ele por vezes me ligava para conversar, me chamava, e eu ia lá.
Conversar sobre política?
-Ele sempre tinha um assunto específico. Nunca me chamou lá para bater papo. Sempre que me chamava, eu sabia que ele ia me pedir alguma coisa ou ele queria alguma informação.
Segundo a colaboração, Temer pediu dinheiro ao senhor já em 2010. É isso?
-Isso. Logo no início. Conheci Temer, e esse negócio de dinheiro para campanha aconteceu logo no iniciozinho. O Temer não tem muita cerimônia para tratar desse assunto. Não é um cara cerimonioso com dinheiro.
Ele sempre pediu sem algo em troca?
-Sempre estava ligado a alguma coisa ou a algum favor. Raras vezes não. Uma delas foi quando ele pediu os R$ 300 mil para fazer campanha na internet antes do impeachment, preocupado com a imagem dele. Fazia pequenos pedidos. Quando o Wagner saiu, Temer pediu um dinheiro para ele se manter. Também pediu para um tal de Milton Ortolon, que está lá na nossa colaboração. Um sujeito que é ligado a ele. Pediu para fazermos um mensalinho. Fizemos. Volta e meia fazia pedidos assim. Uma vez ele me chamou para apresentar o Yunes. Disse que o Yunes era amigo dele e para ver se dava para ajudar o Yunes.
 [...].
-O ministro Geddel falava em nome do presidente Temer?
-Sem dúvida. Depois que o Eduardo foi preso, mantive a interlocução desses assuntos via Geddel. O presidente sabia de tudo. Eu informava o presidente por meio do Geddel. E ele sabia que eu estava pagando o Lúcio e o Eduardo. Quando o Geddel caiu, deixei de ter interlocução com o Planalto por um tempo. Até por precaução – Leia na íntegra

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Tutti buona gente

Esta família é muito unida
E também muito safada
Roubam por qualquer razão
Mas acabam pedindo perdão
Rouba pai!
Rouba mãe!
Rouba filha!
Eu também sou da família
Eu também quero roubar
Colagem da letra da música “A Grande Família” de Dudu Nobre

   
O grupo J&F, controlado pelos irmãos Wesley e Joesley Batista, planeja vender empresas que somam R$ 8 bilhões no curto prazo. Dois ativos já estão em processo de venda: A Vigor Alimentos, e as linhas de transmissão de energia. Além disso, a holding analisa vender a Eldorado, empresa de celulose, a Alpargatas, dona das marcas Havaianas e Osklen, e a Flora, de produtos de limpeza.
A informação consta de relatório da agência de classificação de risco, Standard & Poor's, que atribuiu as notícias sobre a venda de ativos à administração da empresa. Segundo análise da agência, a capacidade de pagar suas dívidas está vinculada à venda de ativos...
No início de junho, a JBS, maior processadora de carne do mundo e controlada pela J&F, já havia vendido suas unidades na Argentina, Uruguai e Paraguai, por US$ 300 milhões para o frigorífico Minerva, segundo maior do país. Com esse movimento, a JBS deu início a um movimento de encolhimento que já era esperado pelo mercado.
Em nota, a JBS informou que a venda está "em linha com a estratégia da companhia em focar nos negócios com maior margem de rentabilidade, o que inclui produtos de alto valor agregado e mercados estratégicos" e o valor obtido servirá para reduzir a alavancagem financeira. De acordo com a JBS, nenhum banco intermediou a negociação – leia na íntegra

Tutti buona gente - O ex-ministro Antonio Palocci centrou fogo no seu sucessor na Fazenda, Guido Mantega. Nos primeiros depoimentos prestados ao Ministério Público Federal no acordo de delação premiada em negociação, o ex-chefe da Casa Civil do governo Dilma acusa Mantega de repassar informações privilegiadas ao mercado financeiro sobre operações de juros e mudanças de câmbio. Segundo o que Palocci disse aos procuradores da força-tarefa da Lava-Jato, o esquema funcionava desde 2003, quando Mantega estava à frente do Ministério do Planejamento, e continuou, em 2004, quando ele assumiu a presidência do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).
Palocci ainda falou que Mantega teria levado vantagens nos programas de desoneração de impostos na indústria automobilística. O ex-ministro, entretanto, não chegou a detalhar quais seriam essas benesses. A delação já conta com 16 anexos. Os advogados dele acreditam que, com as informações prestadas, ganhará direito à prisão domiciliar. O Correio não conseguiu localizar Mantega nem seus defensores para comentar as acusações de Palocci – Leia mais

Tratada até há pouco como importante medida de superação de vícios da administração pública brasileira, a reforma política está escanteada no Congresso e pode se resumir, na essência, a um ponto: a criação de um fundo público de campanha de pelo menos R$ 3 bilhões.
A crise que se abateu sobre Michel Temer levou o governo a priorizar a tentativa de manter o presidente no cargo. O teste prático se dará na autorização ou não, pelo plenário da Câmara, para que o Judiciário dê sequência à provável denúncia criminal contra o peemedebista.
Em segundo plano estão as reformas da Previdência e trabalhista, também afetadas pelos desdobramentos da delação da JBS. Já a reforma política está estacionada e vê o seu conteúdo ser desidratado a cada dia.
A parte principal do relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP) está há mais de dois meses pronta para ser votada, sem sucesso. Há mais de 15 dias a comissão especial que debate o assunto não consegue se reunir – leia na íntegra

fotomontagem do twitter enviada por Foca Veiga
   
A Operação Lava-Jato descobriu que a Petrobras era hospedeira de um monumental esquema de corrupção montado no governo do ex-presidente Lula. O dinheiro roubado financiou campanhas eleitorais, abasteceu contas secretas no exterior e bancou pequenos e grandes luxos de mais de uma centena de políticos. O avanço das investigações mostrou que a simbiose entre política e corrupção não se limitava à estatal, envolvia outros grandes grupos empresariais e atraiu praticamente todos os partidos. As entranhas do poder enlameado estão sendo espetacularmente expostas — numa sucessão de assustadoras novidades. Com seus líderes na mira, PMDB, PT e PSDB selaram um pacto surdo de sobrevivência. O PMDB quer levar o presidente Michel Temer ao fim de seu mandato e frear as investigações. O PSDB sonha em voltar ao poder no ano que vem e, de quebra, salvar o mandato de Aécio Neves. O PT, praticamente dizimado, pretende salvar Lula da cadeia e, por meio dele, reerguer o partido. As três grandes forças políticas do Brasil estão, portanto, numa mesma canoa furada. Têm um sonho impossível: impedir que a Lava-Jato se consolide como a mais bem-sucedida operação de combate à corrupção da história do país - Trecho da matéria “A barca furada de Temer, Aécio e Lula contra a Lava-Jato” publicado na edição desta semana da revista Veja 

O caso JBS-Temer está levando parlamentares a realizar uma exumação nos empréstimos do BNDES, entre 2008 e 2014, quando o banco injetou dinheiro barato em empresas selecionadas pelos governos Lula e Dilma (os “campeões nacionais”) para que pudessem comprar outras empresas no exterior.
Ontem, o senador Álvaro Dias (PV-PR) apresentou no plenário resultados de uma análise preliminar: em um período de seis anos, a União emprestou ao BNDES um total de R$ 716 bilhões.
Como o Tesouro Nacional não dispunha do dinheiro, o governo foi ao mercado privado. Tomou recursos pagando juros de mercado, a 14,25% ao ano pela taxa Selic, e repassou à JBS, Odebrecht e outras empresas ao custo entre 5% e 6%, pela TJLP.
Negócio de mãe para filho. O resultado, lembrou, é um subsídio sem precedentes, de R$184 bilhões. “A sociedade vai pagar por isso até o ano de 2060”, disse Dias. Faltam 42 anos para liquidar a conta. Lydia Medeiros/O GloboCONFERE LÁ
Nota de rodapé - Em qualquer outro país, os responsáveis por tamanha fraude estariam PRESOS! O PT saqueou os cofres públicos! Os outros calaram por malas! - Janaina Paschoal  pelo Twitter